Governador do Distrito visitou clubes rotários da Maia

0
189

Os Rotary Clubes da Maia e de Águas Santas /Pedrouços receberam esta terça-feira, 8 de Fevereiro, a Visita Oficial do Governador do Distrito 1970. A visita de Armindo Carolino começou no Instituto Cultural da Maia (ICM), onde foi recebido pelos rotários, entre eles o presidente do Rotary Club da Maia, Américo Lima, e o presidente do ICM, José Eduardo Macedo.
A comitiva visitou as instalações, incluindo as aulas de inglês, informática e pintura. Ao todo, informou a direcção, o instituto conta, nesta altura, com 232 alunos e 12 formadores para as disciplinas de inglês, literatura, história da arte, de Portugal e da Maia, “que tem tido muita adesão”, informática, pintura a óleo e aguarela, teatro, danças de salão, aeroginástica, cavaquinho e guitarra.

O instituto nasceu no seio do Rotary Club da Maia e José Eduardo Macedo adiantou que gostava de o ver regressar às origens. O Governador ouviu a direcção do instituto e quanto ao seu desejo apenas referiu que o assunto tem que ser discutido no local próprio, ou seja, no seio do clube rotário.
Apesar de um clube ter quase 30 anos de história e o outro ter ainda uma história muito recente, com dois anos, Armindo Carolino reconhece que são dois clubes que mostram trabalho na comunidade. No caso do Rotary Club da Maia, o Instituto Cultural da Maia é “o resultado desse trabalho”, afirma o Governador. “Com 232 alunos e com um conjunto de disciplinas. Significa que há um movimento grande que é suportado pelo rotary, embora neste caso haja um alargamento a não rotários”.

Por outro lado, conhece os clubes pela sua participação no Distrito 1970. Recordou que no ano rotário 2007/2008 a Maia teve um Governador do Distrito, que foi Bernardino da Costa Pereira, e que, nesta altura, tem uma governadora assistente do RC Águas Santas /Pedrouços, “o que significa que no quadro social destes dois clubes há rotárias e rotários que estão não só ao serviço da sua comunidade, como também têm capacidade, saber e disponibilidade para estarem ao serviço do distrito. A Maia além de ter dado um Governador tem, neste momento, três elementos que foram chamados a colaborar em estruturas distritais, isto significa que o trabalho, a formação, a disponibilidade para o serviço, a disponibilidade de dar de si, antes de pensar em si é reconhecida pelas próprias estruturas”, salienta Armindo Carolino.
Às 18h00 os dois clubes e o Governador foram recebidos na Câmara Municipal da Maia, pelo presidente da autarquia, Bragança Fernandes. Na altura, foi assinado um protocolo entre a Academia de Artes da Maia, representada pelo presidente do conselho de administração, Mário Nuno Neves, e o Rotary Club da Maia, representado pelo presidente, Américo Lima, para cedência, em regime de aluguer, de um espaço para a sede do clube rotário.

A Visita Oficial do Governador do Distrito 1970 terminou com um jantar festivo, que juntou os rotários dos dois clubes da Maia e convidados e onde Armindo Carolino recordou a mensagem do presidente do Rotary Internacional, a partir do lema do ano rotário “Fortalecer Comunidades, Unir Continentes”. Para se chegar à concretização do lema, o governador aponta três mensagens, que se completam entre si. A primeira prende-se com o aumento do quadro social dos clubes porque “sem rotários não há rotary, por isso, o desenvolvimento do quadro social é a primeira ideia base”.
A segunda ideia está relacionada com as doações para a Rotary Foundation, organismo que tem vindo, ao longo de quase 100 anos, a fazer o bem no mundo. “Mas para fazer o bem no mundo, ou em qualquer parte desde a comunidade da Maia até às terras mais carenciadas da Índia, do Paquistão, ou de qualquer outra parte do mundo é preciso ter meios financeiros disponíveis”, justifica.

E durante a visita do governador, o Rotary Club da Maia fez a entrega de quatro “diplomas Paul Harris”, que correspondem a uma dádiva de quatro mil dólares para a Rotary Foundation, e o Rotary Club de Águas Santas-Pedrouços entregou um “diploma Paul Harris”, referente à doação de mil dólares.
E porque o Rotary vai fazer 106 anos no dia 23 de Fevereiro e como pretendem assegurar que o segundo século do movimento, a terceira ideia transmitida por Armindo Carolino prende-se com o rejuvenescimento do movimento rotário. “É preciso que as novas gerações adiram ao Rotary e entendem o ideal rotário”.
Armindo Carolino termina as visitas oficiais aos clubes, no dia 1 de Março, “em casa”, ou seja, no Rotary Club do Pombal.

Isabel Fernandes Moreira