Governo dividiu o país em 4 escalões de gravidade da Covid19

0
505

O Governo acrescentou hoje mais dois níveis de risco elevado aos concelhos abrangidos pelas medidas especiais de combate à covid-19, mantendo 47 municípios em risco “extremamente elevado”, o mais alto na escala.

A escala contempla agora 4 escalões. De acordo com os dados divulgados pela DGS na segunda-feira acerca da incidência cumulativa de 14 dias (de 28/10 a 10/11/2020), a Maia apresentava 922 casos, o que a manter-se esta incidência colocaria a Maia no nível “muito elevado”, o segundo mais alto da escala.

ATUALIZAÇÃO a 22/11/2020: Maia foi colocada na lista de risco extremo, a mais alta da escala. Ainda não foi divulgado o relatório com a distribuição de casos por concelhos, mas isto quer dizer que a Maia está com mais de 960 casos por 100 mil habitantes.

Numa conferência de imprensa, o primeiro-ministro, António Costa, destacou que os concelhos vão estar divididos consoante os níveis de risco em “extremamente elevado”, “muito elevado”, “elevado” e “moderado” e será “em função destes critérios de risco” que “nos próximos meses serão “modeladas as medidas a adotar para que se ajustem o melhor possível à realidade efetiva em cada concelho”.

Em risco “extremamente elevado” estão 47 concelhos, por apresentarem mais de 960 casos de doença por 100 mil habitantes.

No nível “muito elevado” estão 80 concelhos por apresentarem mais de 480 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Em risco elevado encontram-se 86 concelhos, com mais de 240 e até 480 casos por 100 mil habitantes, e, em risco “moderado”, estão 65 concelhos, com menos de 240 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Da lista de risco saíram esta semana 17 concelhos.

António Costa sublinhou que a lista é dinâmica e será revista de 15 em 15 dias, alinhada com a revisão do estado de emergência.