Grupo Barraqueiro mantém operação do metro do Porto

0
243
imagem de arquivo PM
- Publicidade -

 

 

O grupo Barraqueiro venceu o concurso da Metro do Porto e continuará a operar as composições por mais sete anos, entre abril de 2018 e março de 2025. O grupo já é o líder do consórcio ViaPorto, responsável pela operação da metro desde 2010.

 

A Barraqueiro já é líder do consórcio ViaPorto, responsável pela operação do metro desde 2010. O consórcio da ViaPorto integra, ainda, as empresas Manvia, Keolis e Arriva. Embora mudem alguns protagonistas (a Mota-Engil separou-se da Barraqueiro e apresentou uma proposta alternativa em consórcio com a Valpi), venceu a continuidade.

 

O grupo disputou a subconcessão da operação e da manutenção da rede da Metro do Porto com mais cinco concorrentes e o único critério de seleção era o preço mais baixo. A proposta da Barraqueiro foi a mais vantajosa, mas por uma diferença muito pequena em relação à do consórcio Mota-Engil/MGC Transportes (MEAS/Manvia, do grupo Mota-Engil,/ME/MGC Transportes, que integra o grupo Valpi), noticia o JN. A espanhola Corporatión Española de Transportes (do grupo Avanza) ficou em terceiro lugar.

 

A Transdev, que venceu o concurso público de subconcessão da operação lançado em 2015 pelo anterior Governo PSD/PP, entretanto anulado, também entrou na corrida com uma proposta menos atrativa para a transportadora pública, tendo ficado longe das posições cimeiras.

 

A consulta pública foi lançada em junho, com um preço de referência de 221 milhões de euros.

O conselho de Administração da Metro do Porto ainda não recebeu o relatório do júri do concurso. Logo que seja entregue o documento, será submetido a aprovação, decorrendo, depois, o período de audiência prévia em que os concorrentes podem contestar a decisão.

 

A ambição da empresa pública é celebrar o contrato com o novo operador até ao final do ano, de modo a enviá-lo, rapidamente, para a apreciação do Tribunal de Contas.

 

Seguir-se-ão todas as etapas previstas na lei e no programa do concurso, por forma a que o subconcessionário possa iniciar um período de transição no primeiro trimestre do próximo ano e iniciar efetiva e integralmente a nova subconcessão no dia 1 de abril de 2018.

 

Este concurso decorre nos termos legais e de acordo com as bases da concessão do Estado português à Metro do Porto. Realizado em regime de parceria público-privada, o procedimento compreende toda a operação regular do Metro – área onde se inclui segurança e apoio aos clientes -, bem com as grandes revisões da frota de material circulante, as grandes manutenções de sistemas técnicos e do sistema de bilhética.

- Publicidade -