Isenções são apenas “rebuçado”

0
776

As medidas de “discriminação positiva” para a cobrança de portagens nas vias até aqui sem custos para o utilizador (SCUT) não convenceram. Assim que o Governo anunciou as datas para o início da cobrança, multiplicaram-se as vozes de contestação – em Portugal e até na vizinha Galiza – assim como as ameaças de novas acções de luta.

Da parte dos automobilistas, o movimento contra a introdução de portagens nas SCUT do Norte adiantou a marcação de uma reunião com todas as comissões de utentes do país, no dia 25 deste mês. Está marcada para as 15h00, na Junta de Freguesia da Senhora da Hora, em Matosinhos, onde estará também representada a comissão de utentes da Maia. E avisando desde já o porta-voz, Pedro Ferreira, que “baixar os braços não vamos, até porque achamos que temos a razão do nosso lado”. Dessa reunião conjunta deverá sair uma estratégia de acção dos utilizadores destas vias ainda sem custos, desejando que o Governo tome consciência da realidade das regiões que usufruem das SCUT.

Sobre o que foi anunciado há cerca de uma semana pelo Governo, Pedro Ferreira apelida de “uma espécie de rebuçado” as isenções e descontos apresentados.

[audio:ISENCOES_PEDRO.mp3]

O porta-voz da comissão de utentes lamenta que a tutela escolha para aumentar as receitas “os utentes que são trabalhadores, que são empresas” e que apenas “pedem para não ser mais oneradas, quando o nível de vida médio da região já é baixo. E com a agravante de não existirem alternativas às estradas em questão.

[audio:PEDRO_SCUT.mp3]

Outras vozes se fizeram ouvir depois do anúncio do Governo. À agência Lusa, o presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, Melchior Moreira, confessou temer que a afluência de turistas à região baixe na sequência da introdução de portagens. E assim “contrariar a tendência de crescimento do turismo da região”, a que se assiste há 14 meses consecutivos.

A nível partidário, a Organização Regional do Porto do PCP publicava a 13 de Setembro no site da Internet um balanço da actividade do grupo parlamentar relativa ao distrito do Porto, já com perspectivas para a segunda sessão legislativa, em que garantia que “o PCP irá voltar a utilizar todos os meios ao seu dispor para pôr termo à, novamente anunciada intenção, do PS e do PSD, de concretizar mais um roubo à população do distrito do Porto”.

Marta Costa