Jantar da associação “A Causa da Criança” reuniu cerca de 180 pessoas

0
379

A Associação de Protecção à Infância e Juventude “A Causa da Criança” realizou na passada sexta-feira mais um jantar de angariação de fundos. As verbas destinam-se a apoiar o trabalho desenvolvido no Centro de Acolhimento Temporário (CAT) de Vila Nova Telha, que recebe crianças e jovens em risco social.

De acordo com o presidente da direcção, Álvaro Gil Azevedo, a adesão ao jantar ultrapassou as expectativas. “Tivemos cerca de 180 pessoas. Foi um jantar de convívio e de angariação de fundos para a nossa gestão, que também nesse aspecto, correu bem”, adiantou. Entre donativos, acerto de quotas e outras ofertas, a Instituição Particular de Solidariedade Social conseguiu reunir cerca de três mil euros.

A associação continua a contar com várias ajudas da sociedade civil, através da doação de roupas, brinquedos. Mas é de bens alimentares e outros de consumo corrente, como produtos de higiene, fraldas e limpeza, que mais precisa. A verba angariada irá, desta forma, ajudar nas despesas com este tipo de bens, “porque as ajudas da Segurança Social não chegam. É mais para cobrir as despesas com os funcionários”, refere Álvaro Gil Azevedo.

Apesar das dificuldades, a situação financeira de “A Causa da Criança” está “estabilizada”. Apesar de ainda não ter liquidado a dívida referente à construção do Centro de Acolhimento Temporário.

De acordo com Álvaro Gil Azevedo, a associação viu-se confrontada com o aumento dos seus encargos, depois de lhe ter sido cortada uma comparticipação de 49 mil euros. E foi ainda obrigada a devolver ao fundo comunitário uma verba de 3.100 euros, por alegado incumprimento de prazos. Por não concordar, a associação avançou com um processo de reclamação. “O Estado ou quem por direito o representa, cria dificuldades à sociedade civil que quer fazer coisas. Em termos processuais não ajuda, e depois fiscaliza, obrigando à devolução de dinheiros à Comunidade Europeia, como aconteceu connosco”, lamenta aquele responsável. “O Estado retirar-nos 49 mil euros daquilo que nos tinha prometido dar é muito grave. É desalentador para quem se dedica voluntariamente e graciosamente à acção social”, acrescenta. Com isto, a associação viu aumentada a sua quota-parte de investimento na obra.

Junto às instalações do CAT, está a ser construída uma nova arrecadação e uma garagem, tendo a associação a promessa de ajuda financeira por parte da Câmara Municipal da Maia. “O presidente da câmara esteve presente no nosso jantar, e mais uma vez confirmou que vai dar uma ajuda grande para a construção da arrecadação e da garagem”, referiu.

A associação tem vindo a ganhar mais sócios, muito graças à divulgação do trabalho desenvolvido pela associação, que tem também procurado “sensibilizar” os sócios que têm estado mais afastados da instituição, “para que se aproximem e façam a liquidação das quotas”.

O Centro de Acolhimento Temporário da associação “A Causa da Criança” entrou em funcionamento em Outubro de 2007. Tem capacidade para acolher 22 crianças e jovens em risco social. Lotação que, nesta altura, encontra-se esgotada. O mais recente residente do centro entrou esta segunda-feira, com apenas duas semanas de vida.

Fernanda Alves