Lar de idosos encerrado em Vermoim

0
336

Mais de duas dezenas de idosos tiveram de ser realojadas na sequência do encerramento de um lar de terceira idade, em Vermoim.

O Instituto da Segurança Social (ISS) encerrou a instituição, mas sublinha que o procedimento “decorreu de uma solicitação do Ministério Público”. De acordo com o director do Centro Distrital do Porto do ISS, Luís Cunha, o instituto “promoveu o encerramento administrativo do equipamento e ao encaminhamento para outros lares, de 22 dos 23 idosos ali acolhidos”. O outro foi acolhido por familiares.

Ao que parece, o lar de terceira idade funcionava numa moradia, sendo que a maioria dos 23 utentes vivia na cave da habitação, ou seja, num espaço sem as divisórias que garantissem a privacidade desejada. A falta de condições do espaço e a falta de licença para o seu funcionamento terão estado na origem do encerramento.

PRIMEIRA MÃO tentou, por diversas vezes, o contacto com a directora técnica deste lar, mas por diversas vezes Rute Soares adiou a conversa, não tendo prestado até ao momento qualquer declaração. O certo é que, na terça-feira, falou a outro órgão de comunicação, rejeitando a um jornal diário de âmbito nacional que entre os motivos da decisão possa estar a existência de maus tratos aos idosos, aliás, uma situação que tem levado ao encerramento de outros lares em Portugal. Acrescentou ainda a directora técnica que o próximo passo será reunir com técnicos da Segurança Social, de forma a aferir das obras necessárias para reactivar o serviço.

Deco preocupada

Este não é o primeiro caso de um lar de idosos a ser encerrado na Maia. Já no ano passado, em Maio, os técnicos da Segurança Social foram a Pedrouços fechar o Lar Nossa Senhora do Auxílio e evacuar os seis idosos residentes. Neste caso, por alegados maus tratos físicos e psicológicos aos utentes.

Cerca de cinco meses depois, as notícias davam conta do encerramento de 180 lares de terceira idade, em menos de dois anos. Só desde o início de 2008, até 25 de Outubro do mesmo ano, o presidente do ISS contabilizava 75 lares de idosos encerrados. Por falta de pessoal qualificado, ausência de condições físicas, falta de licenças para o exercício da actividade ou maus tratos a utentes.

Já no início deste ano, a Deco manifestava-se preocupada com a situação vivida em alguns lares de idosos do país. De 28 instituições de Lisboa e Porto, visitadas pela Associação Portuguesa para a Defesa dos Consumidores, pelos menos 21 chumbaram no teste por falta de condições de segurança. Entre elas, poucas saídas de emergência ou existência de algumas mas bloqueadas. Em quatro destes casos, todos na região de Lisboa, foi mesmo sugerido o encerramento urgente para obras nos edifícios.

Marta Costa

(Notícia a desenvolver na edição de amanhã de Primeira Mão)