Lar do Comércio em Matosinhos fecha 3 salas de creche e infantário

0
325

Vinte e seis crianças que frequentam a creche e o jardim-de-infância do Lar do Comércio, concelho de Matosinhos (nos limites com a fronteira da Maia), estão a cumprir quarentena em casa depois de detetados dois casos de infeção covid-19, informou hoje a instituição.

Entre as 26 crianças, de um total de três salas, estão dois irmãos de 7 meses e 2 anos de idade que testaram positivo ao novo coronavírus.

Em comunicado, a direção do Lar do Comércio descreve que foi contactada no domingo pela mãe de duas crianças que frequentam o seu equipamento infantil as quais, submetidas ao teste covid-19, testaram positivo, razão pela qual decidiu contactar todos os pais e colaboradores deste equipamento, aos quais foram transmitidas as instruções da Direcção-Geral da Saúde (DGS).

“Os irmãos terão sido infetados no fim de semana de 06 de setembro durante uma visita aos avós, em Viseu – que só posteriormente, a 10 de setembro, terão testado positivo. Sabendo do resultado do avô, a mãe das crianças retirou-as do equipamento infantil, logo no próprio dia 10 de setembro, a fim de serem também elas testadas. O resultado positivo foi do conhecimento da instituição, ontem, dia 13 de setembro, ao início da tarde”, descreve o Lar do Comércio em nota às redações.

Esta situação, que acontece numa instituição que esteve envolta em polémica em maio devido a casos de infeção na valência dedicada à Terceira Idade, motivou no domingo uma “reunião de emergência”.

Depois de ter sido encerrada em meados de março devido às contingências da pandemia da covid-19, a valência infantil reabriu a 01 de junho.

“Na impossibilidade de contactar o delegado de saúde de Matosinhos, a Linha Saúde 24 recomendou à direção que entrasse em contacto com todos os encarregados de educação com a indicação explícita e urgente de que todos deveriam contactar a linha de saúde 800 24 24 24”, continua a descrever a instituição.

Além das 26 crianças, incluindo os irmãos infetados, também as educadoras e auxiliares foram aconselhadas a ficar em isolamento profilático, uma medida descrita como “preventiva até que possam ser conhecidos os resultados dos testes”.

Contactado o lar, fonte da instituição explicou que em causa estão três salas, pois além da sala de bebés e a infantil às quais pertencem os dois irmãos, houve necessidade de salvaguardar as crianças e funcionárias de uma terceira sala devido à partilha do espaço dedicado à sesta.

(com Lusa)