Linha de Leixões vai servir passageiros

0
139

Até Setembro, a linha ferroviária de Leixões, que hoje em dia, é usada para o transporte de mercadorias, vai passar a receber comboios de passageiros. Numa primeira fase, o serviço deverá realizar-se na ligação entre Ermesinde e Leça do Balio, com paragem nas estações de São Gemil, na freguesia de Águas Santas, na Maia, e São Mamede de Infesta, em Matosinhos". Mas o objectivo é que a ligação ferroviária para passageiros se prolongue até Leixões.

O novo serviço na linha ferroviária de Leixões resulta da criação de dois protocolos, que foram assinados na sexta-feira da semana passada, envolvendo a CP – Comboios de Portugal, a Refer – Rede Ferroviária Nacional, a administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) e a Câmara Municipal de Matosinhos.

Numa primeira fase, vai circular um comboio de meia em meia hora nos dias úteis e nas horas de ponta. Nos restantes períodos do dia entre segunda e sexta-feira, vai circular um comboio por hora. Na estação de Ermesinde, os utentes poderão fazer a ligação com as linhas de Braga, Douro e Guimarães, bem como com a estação da Campanhã, no Porto.

A CP adianta que o novo serviço de passageiros vai contribuir para a sustentabilidade ambiental, “facilitando a acessibilidade e a mobilidade numa área que, nos últimos anos, evidenciou um franco crescimento populacional e com um mercado potencial significativo”. Estima-se que, depois do período de lançamento e adesão, este serviço venha a atingir cerca de 2,9 milhões de passageiros por ano.

De acordo com o protocolo, os trabalhos de adaptação da linha à circulação de comboios de passageiros vai ficar a cargo da Refer, que procederá a obras de requalificação nas infra-estruturas de apoio aos passageiros nas estações de São Gemil, São Mamede de Infesta e Leça do Balio e à construção da nova estação intermodal de Leixões.

Tendo em vista a adaptação da Linha, que actualmente serve apenas comboios de mercadorias para o porto de Leixões, à circulação de comboios de passageiros, a REFER vai proceder à realização de diversas obras de requalificação, nomeadamente, nas infra-estruturas de apoio aos passageiros nas estações de São Gemil, São Mamede de Infesta e Leça do Balio, na construção da nova Estação Intermodal de Leixões, na infra-estrutura ferroviária e na electrificação da ponta final da linha até à nova estação.

No seu discurso, durante a cerimónia de assinatura dos protocolos, a secretária de estado dos transportes, Ana Paula Vitorino, afirmou que os diversos desenvolvimentos ocorridos no Porto de Douro e Leixões, nos últimos quatro anos são uma referência e deverão “encher de orgulho todos os matosinhenses”. E nesse sentido, recordou entre outros investimentos, a nova ponte móvel inaugurada em 2007, a via interna de ligação ao Porto de Douro e Leixões que em conjunto com a nova portaria, as duas inauguradas em 2008, “permitem retirar da malha urbana da cidade de Matosinhos cerca de dois mil veículos pesados por dia”; o novo terminal multiusos no molhe Sul “que constitui uma infra-estrutura fundamental para o sucesso das duas Auto-Estradas do Mar previstas entre Leixões e Rouen e Leixões e Brest, cujas candidaturas a fundos comunitários foram entregues este mês como resultado das negociações entre os Governos de Portugal e França e que envolveu ainda uma terceira candidatura a uma ligação entre Sines e Marselha”.

Respeitando uma lógica de desenvolvimento e cooperação entre Governo e a autarquia que se insere a assinatura do protocolo entre o município de Matosinhos, a REFER e a CP. “Após mais de 43 anos de interrupção, o Governo em conjunto com a autarquia vão devolver à população, o serviço regular de passageiros na linha de Leixões”, afirmou.

São 19 quilómetros em via única, totalmente electrificada e que irá ligar por comboio Matosinhos à Linha do Minho, oferecendo às populações de Matosinhos, Maia e Valongo mais uma opção nas suas deslocações “com todo o conforto, economia, segurança e regularidade que o modo ferroviário oferece”, salientou Ana Paula Vitorino.

A secretária de Estado referiu ainda que, depois, integrando um quadro do reforço do serviço, serão criadas outras paragens e apeadeiros em função da optimização da rede e do melhor aproveitamento da intermodalidade. “Com a conclusão dos trabalhos da estação intermodal de Leixões o serviço urbano de passageiros será efectuado entre Ermesinde e Leixões”, disse.

Ana Paula Vitorino concluiu a sua intervenção dizendo que este é mais um passo que considera importante “para reforçar a utilização do transporte público, nas áreas metropolitanas, onde há que reduzir o congestionamento, diminuir a sinistralidade e melhorar o ambiente, em síntese, melhorar a qualidade de vida e reforçar a competitividade das nossas cidades”.

O presidente da Junta de Freguesia de Águas Santas, António Teixeira, nunca foi informado oficialmente sobre esta questão. No entanto, mostrou-se satisfeito com uma “reivindicação antiga da junta e da própria população”. “Isso é uma óptima notícia porque Águas Santas, em termos de transportes tem uma lacuna muito grande, portanto, se isso se vier a concretizar é óptimo para a freguesia”.

Isabel Fernandes Moreira