Maia aposta forte no alargamento da rede de equipamentos sociais

0
383
imagem Tânia Ramos CMM

O Município da Maia disponibiliza a 8 instituições do concelho 4 milhões de euros para apoio às suas candidaturas ao Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais – PARES 3ª Geração. A Câmara lança assim um forte apoio ao alargamento de equipamentos sociais por todo o concelho.

“Com estes protocolos e contratos, investimos na melhoria substancial da rede de equipamentos sociais na Maia”, sublinhou o presidente António Silva Tiago.

Oito instituições particulares de solidariedade social (IPSS) da Maia vão receber da Câmara Municipal local apoios para reforço das suas candidaturas ao Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais – PARES 3.0.

Este programa apoia o desenvolvimento, a consolidação e a reabilitação de redes de equipamentos sociais, promovendo a melhoria sustentada das condições e dos níveis de proteção dos cidadãos.

A Câmara Municipal da Maia vai contribuir para o alargamento e melhoria da rede de equipamentos sociais no concelho, no âmbito da sua missão na Rede Social da Maia, garantindo capacidade material e financeira das instituições candidatas, para que estas possam cumprir as obrigações decorrentes da aprovação das candidaturas.

A autarquia assinou um conjunto de contratos de comodato e de escrituras de constituição de Direitos de Superfície sobre imóveis do património municipal com as IPSS que se candidatam ao PARES 3.0.

As entidades signatárias da parceria com a Câmara são:

APPACM – Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental da Maia, para ampliação do seu Lar Residencial para pessoas com deficiência, em Vila Nova da Telha

ASMAN – Associação de Solidariedade Social “Mouta Azenha a Nova”, para construção e estrutura residencial para pessoas idosas, em Gueifães, na Cidade da Maia

Cooperativa de Solidariedade Social “Bom Porto”, para construção de um Centro de Atividades Ocupacionais, no Castelo da Maia

Cooperativa de Solidariedade Social “Recreio do João”, para construção de uma estrutura residencial para idosos, em Silva Escura

Santa Casa da Misericórdia da Maia, para construção de estrutura residencial para idosos, centro de dia e apoio domiciliário, em Águas Santas.

O valor dos imóveis objeto destas cedências ronda os 2 milhões de euros.

Além disso, a autarquia maiata assinou com todas estas instituições, além de outras IPSS, que possuem já terrenos ou estruturas próprias e que apresentaram igualmente candidaturas ao PARES 3.0, como é o caso de:

ANSE – Abrigo Nossa Senhora da Esperança, para construção de uma estrutura residencial para pessoas idosas, em Vila Nova da Telha,

Criança Diferente/Associação de Amigos, par lar residencial, em Milheirós

Associação de Solidariedade Social “O Amanhã da Criança”, para requalificação do centro de dia de Pedrouços

de novo a Santa Casa da Misericórdia da Maia, para adaptação de edifício para centro de dia, em Gemunde

Nestes Protocolos de Cooperação Financeira, a autarquia assume o compromisso de cofinanciar a execução dos equipamentos sociais, custeando 50% do valor da infraestrutura e 25% dos projetos técnicos e fiscalização, estando a sua execução unicamente dependente da aprovação das candidaturas apresentadas ao PARES 3.0.

Estes protocolos totalizam um compromisso global de 1 Milhão e 850 mil euros.

António Silva Tiago, presidente do Município, na ocasião da assinatura dos compromissos sublinhou que “a forte aposta da Câmara no apoio a instituições de solidariedade social que têm um historial de trabalho com os maiatos mais desprotegidos não é de hoje. Com estes protocolos e contratos, investimos na melhoria substancial da rede de equipamentos sociais na Maia”.