Maia é uma Cidade pela Vida

0
421
Torre Lidador
- Publicidade -

Esta quinta-feira, 30 de novembro, a Maia vai dizer “Não à Pena de Morte”, assinalando o dia internacional das “Cidades pela Vida – Cidades Contra a Pena de Morte”.

Pelas 18h00, nos Paços do Concelho, será assinado o protocolo de adesão da Maia à rede de municípios “Cidades pela Vida”.

Esta quinta-feira assinala-se mais um aniversário da primeira abolição oficial da pena de morte por parte de um Estado, promulgada pelo Grão-ducado da Toscana, em 1786. Nesta data, as autarquias e outras instituições de todo o mundo, aderentes a esta iniciativa, iluminam um edifício público ou um monumento histórico em sinal de condenação pela aplicação da pena capital.

Desde 2002 que a Coligação Mundial Contra Pena de Morte, da qual a Amnistia Internacional (AI) faz parte, promove todos os anos, nesta data, a iniciativa da Comunidade de Sant’Egídio designada “Cidades para a Vida – Cidades Contra a Pena de Morte”.
Em 2016, houve um total de 1032 execuções em 23 países, correspondente a uma diminuição de 37 por cento relativamente a 2015.

São já 140 países que aboliram na lei e na prática a pena de morte, dos quais 102 são totalmente abolicionistas, de acordo com dados da Amnistia Internacional.

Ainda no âmbito da adesão da Maia à rede de municípios que defendem esta causa, pelas 18h30, num gesto simbólico, a Torre do Lidador será iluminada e decorrerão várias ações de sensibilização.

Este ano, mais de 200 cidades juntaram-se ao número das Cidades pela Vida, sendo já mais de 2100. Em Portugal aderiram a esta iniciativa cerca de 25 cidades.

- Publicidade -