Maia compromete-se com a Saúde em Educação Alimentar

0
398
almoço saudável
- Publicidade -

O município da Maia assumiu a missão de providenciar o almoço escolar em todas as escolas públicas de Educação Pré-escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico do concelho.

Tratando-se de refeições destinadas ao público-infantil, estas merecem um especial cuidado. Logo, o objetivo do município é servir refeições completas, equilibradas e saudáveis, como forma de promoção do bem-estar e saúde dos alunos.

Este propósito resulta no desafio diário, nem sempre fácil de alcançar, de conjugar a saúde, com as preferências das crianças, que são consumidores exigentes. Assim, no âmbito do Programa Municipal de Saúde Escolar, a autarquia dispõe de um projeto especialmente dedicado à Educação Alimentar e ao Almoço Escolar: “Maia Menu Saudável”.

Com este projeto, o município e todos os profissionais da autarquia e da comunidade escolar podem dizer que na Maia o almoço é seguramente saudável.

Apresentação na Escola da Guarda com Waze

A cerimónia oficial de lançamento do projeto decorreu na escola da Guarda, em Moreira, com uma sessão em que atuou o padrinho do projeto “Maia Menu Saudável”, o músico Waze. O artista de 18 anos está a trabalhar num hino para esta ideia, que irá contar com a gravação de um vídeo, envolvendo os alunos das escolas e ainda o presidente da Câmara e a vereadora da Educação e Saúde.

Ao publicar no youtube, o vídeo será “um meio mais eficaz de chegar ao público infantil e juvenil”, considerou a vereadora Emília Santos.

Nesta cerimónia, o almoço saudável na escola já foi servido sobre as novas bases (individuais) devidamente decoradas. Em vez das anteriores em papel, estas são de um material plástico maleável e lavável, podendo assim ser reutilizado, numa atitude de sustentabilidade ambiental.

“Queremos que os pais se sintam confiantes”

A vereadora da Educação e Saúde lembra que “o Programa de Saúde Escolar já existe há muito tempo, mas numa altura em que por todo o país se fala muito das refeições nas escolas e em que se coloca muito em causa a qualidade, quantidade e fiscalização das mesmas, nós Maia, um município pioneiro nestas questões da Saúde na Educação, achamos por bem assinalarmos um compromisso, como que um selo de qualidade para que os pais se sintam confortáveis, sintam confiança na refeição que é servida aos meninos e percebam todo o serviço que está subjacente ao serviço de refeições”.

De acordo com Emília Santos estão consagradas nas refeições servidas sob a responsabilidade do município a “trilogia: hidratos de carbono, proteínas e hortícolas”. Os meninos já prenderam que não devem colocar de parte nenhum destes elementos, mas a vereadora sublinha que o projeto pretende também consciencializar os pais que esta mensagem não deve ser passada apenas na escola, mas também em casa.

Município com equipa de fiscalização multidisciplinar

Por outro lado, além da sensibilização para os conhecimentos essenciais acerca da nutrição, o município quer divulgar junto do pais e de toda a comunidade o serviço de fiscalização que a autarquia faz, como descreve a vereadora Emília Santos: “muitos pais não sabem que a Câmara tem uma equipa de três técnicos – um nutricionista, um gestor hoteleiro e um gestor de Recursos Humanos – que faz uma fiscalização e uma vistoria permanente em jornada contínua para andar por todas as escolas no sentido de assegurar que está a ser cumprida a qualidade, a quantidade da refeição, se corresponde à ementa e também o grau de aceitabilidade das crianças à refeição que está a ser servida. Não é fácil gerir todos estes requisitos com as exigências e vontades das crianças, mas é um trabalho que tem que ser agarrado por todos”.

Vereadora afirma-se vigilante quanto aos problemas surgidos após o 1º ciclo

Esta vigilância da alimentação infantil está assegurada pela Câmara no ensino pré-escolar e do 1º ciclo. Mas a partir do 2º ciclo e no secundário, a responsabilidade passa a ser do governo, o que tem gerado problemas e queixas, como aconteceu recentemente na Escola Secundária da Maia.

A vereadora Emília Santos manifestou-se solidária com os pais, na altura, e quando surgiu o problema da queixa de frango estragado, servido na EB 2/3 da Maia, efetuou diligências junto do Ministério da Educação.

Emília Santos lembra que depois de alertado o ministro da Educação, “obtive a resposta através da secretária de Estado, Alexandra Leitão, de que iriam assumir o compromisso de aumentar a fiscalização reforçando com três técnicos a delegação escolar do Norte e fui informada de que isso aconteceu”. A vereadora da Educação sublinha que ninguém pode evitar falhas, mas “estamos atentos para evitar reincidências”.


Projeto “Maia Menu Saudável – Fazemos um Almoço Saudável”

Como atingir este objetivo:

1 – A cada 3 anos lançamos um Concurso Público Internacional para fornecimento do almoço escolar nas EB1/ JI Públicas do Concelho.

De forma contínua:

– Avaliamos as ementas a cada período letivo, para promover a sazonalidade e maior variedade;

– Realizamos visitas e auditorias no terreno às cantinas e refeitórios escolares, com e sem aviso prévio, acompanhando ainda os alunos durante a refeição para avaliar o seu grau de satisfação;

– Comunicamos e reunimos diretamente com os Agrupamentos Escolares, as Escolas, a empresa responsável pelo fornecimento de refeições, Associações de Pais e os Pais/ Encarregados de Educação sempre que se revele necessário e pertinente;

– Dispomos de uma ferramenta preenchida diariamente pelas escolas, de avaliação de satisfação face ao serviço de refeições escolares – o Registo Semanal;

– Disponibilizamos ementas para casos especiais (doenças metabólicas, alergias e intolerâncias alimentares) e ementa vegetariana;

– Desenvolvemos uma série de ações de informação/ formação no âmbito da promoção de um almoço saudável, nomeadamente com a implementação do projeto “Maia Menu Saudável”.

O Almoço Escolar é constituído por:

• Sopa, com pelo menos 3 hortícolas presentes e uma base de batata, arroz ou leguminosa;
• Prato, composto por:
Fonte proteica animal (carne, peixe e/ou ovos);
Acompanhamento (arroz, massa, batatas e/ou leguminosas);
Hortícolas (como salada, cozidos, salteados ou fazendo parte da confeção do prato);
• Sobremesa, fruta disponibilizada todos os dias, e 1 vez por semana opção de sobremesa doce;
• Pão, constituído por mistura de cereais e com baixo teor de sal;
• Bebida, apenas permitida a água.

- Publicidade -