Maia e concelhos vizinhos não registam hoje novos casos positivos de Covid19

0
2507
Covid19

Na Maia, bem como na grande parte dos concelhos do distrito, o número de casos positivos não sofreu aumento, de acordo com o boletim da DGS. Isto é não se registaram novos casos nas últimas 24 horas.

O boletim epidemiológico diário da DGS publicado hoje regista mais 25 mortes e 163 casos de infeção com COVID-19 em Portugal nas últimas 24 horas.

O número de óbitos subiu de 903 para 928 e o total de casos confirmados aumentou de 23.864 para 24.027. O número de recuperados aumentou de 1.329 para 1.357 casos.

O concelho da Maia regista no boletim de hoje os mesmos 826 casos de ontem. É de registar o esforço de contenção da pandemia, a exemplo da região Norte, que continua a ser a ais afetada do país.

A região Norte continua a ser a mais atingida, com o número de casos a ascender a 14.496 (+110), e o número de mortos atinge 536 (+17).

Nos concelhos vizinhos de Trofa, Santo Tirso, Matosinhos, Valongo e Porto não se registaram novos casos nas últimas 24 horas.

Os mais afetados pela covid19 são Porto e VN Gaia, com, respetivamente, 1211 positivos (+0) e 1263 (+0).

Semana decisiva em Portugal

Esta será a semana de todas as decisões, com a deliberação final sobre o estado de emergência e se o país passa a situação de calamidade. A estratégia do Governo assenta em abrir a economia e a sociedade de forma progressiva e monitorizada, controlar os lares e garantir que há bastante material de proteção.

Além disso, o Governo prossegue no reforço do SNS, já que aponta que no outono surja uma segunda vaga da pandemia de COVID-19. As aulas presenciais dos alunos dos 11º e 12º anos deverão ser retomadas a 18 de maio e as creches e comércio em geral reabrirão a 1 de junho.

Ontem, a ministra da Saúde alertou que a taxa de contágio do novo coronavírus ainda está ainda acima de um. Marta Temido sublinhou que a doença não está controlada e que continuam a ser necessários todos os cuidados.

O novo coronavírus provocou um excesso de mortalidade em Portugal, que não ultrapassou, porém, alguns picos de mortes acima do esperado causados pela gripe e o frio intensos de invernos recentes. Segundo o projeto Euromomo, enquanto em Portugal a curva subiu de forma moderada em março e abril, noutros países europeus atingiu picos extremamente altos. O “Financial Times” contabiliza que as mortes por COVID-19 podem estar 60% acima das estatísticas oficiais. Portugal tem o segundo menor desvio (10%) a nível europeu, só superado pela Dinamarca.

O encerramento das fronteiras por causa da pandemia da COVID-19 ressuscita as antigas rotas clandestinas da emigração e contrabando no Alto Minho.