Maia eleva reciclagem a outro nível

0
564
foto Maiambiente
- Publicidade -

Duas centenas de edifícios da Maia vão ter ecopontos de pequenos resíduos domésticos que não podem ser colocados na habitual separação de resíduos, como pilhas, lâmpadas, tinteiros, etc.. Um passo num nível superior de reciclagem que é dado em conjunto pela autarquia, a Maiambiente e também em parceira com a Lipor.

Com o objetivo de promover a valorização de pequenos resíduos domésticos, a Lipor e o Município da Maia, através da Maiambiente, avançam com a implementação de um projeto inovador e pioneiro de recolha seletiva porta-a-porta destes resíduos em edifícios de habitação coletiva.

Para tal, foram colocados eco-módulos – equipamentos compartimentados com seis gavetas, onde será possível separar resíduos como pilhas e acumuladores portáteis, tinteiros e toners, lâmpadas, resíduos de pequenos equipamentos elétricos e eletrónicos, embalagens contaminadas e rolhas de cortiça.

Este projeto, financiado pelo POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, abrange cerca de 22 mil habitantes e aproximadamente 10 mil alojamentos, distribuídos por 200 edifícios, e vai permitir recolher e encaminhar para tratamento adequado estes resíduos, que representam uma elevada perigosidade para o ambiente.

Para além disso, permitirá percecionar a produção per capita de pequenos resíduos domésticos, aspeto que terá um contributo importante para o setor.

Aquando da distribuição dos eco-módulos foram partilhadas informações sobre os resíduos aceites e não aceites, em cada um dos fluxos, e colocado junto dos equipamentos um cartaz para auxiliar na correta separação dos pequenos resíduos, potenciado uma economia mais circular.

Desta feita, será efetuada a recolha destes resíduos com recurso a uma viatura elétrica, o que eleva, ainda mais, a posição de referência do Município da Maia na procura continua por soluções mais ecológicas e sustentáveis.

- Publicidade -