Maia figura em 24º lugar no ranking nacional dos concelhos com rendas mais caras

0
517
- Publicidade -

Preços dos arrendamentos no mercado português subiram 13% entre Janeiro e Março, com Lisboa e Porto em destaque, noticiou o jornal Público, que citou o Índice de Rendas Residenciais da Confidencial Imobiliário, recentemente divulgado. A Maia ocupa a 24ª posição a nível nacional com os valores das rendas mais elevadas.

As rendas das casas em Portugal continental aumentaram 13% no primeiro trimestre deste ano, em termos homólogos, o que representa a “subida mais acentuada dos últimos oito anos”.

Com base neste índice, que acompanha a evolução das rendas residenciais contratadas no país desde 2010, a dinâmica registada nos três primeiros meses deste ano reflete “a tendência de crescimento das rendas que se verifica desde início de 2016 e que se acentuou no último ano, período em que se registaram aumentos homólogos quase sempre em torno dos 10%”.

De acordo com a Confidencial Imobiliário, Lisboa e Porto foram as cidades que registaram um ritmo de crescimento nas rendas residenciais “superior à média nacional” durante o primeiro trimestre deste ano face ao mesmo período de 2017, “fixando-se em 20% em ambos os casos”.

Apesar de manter a liderança na dinâmica de aumento das rendas em Portugal continental, a cidade de Lisboa verificou “uma estabilização” no ritmo de subida homóloga.
Já o Porto evidenciou uma aceleração do ritmo de crescimento, uma vez que “no trimestre anterior as rendas residenciais nesta cidade tinham crescido 16% face ao período homólogo”, segundo os dados apurados.

Assim, não é expectável que o desequilíbrio entre a procura e a oferta de habitação para arrendamento seja corrigido a curto-prazo, pelo que “a expectativa dos mediadores e proprietários é que as rendas continuem a subir”.
A Confidencial Imobiliário é uma empresa independente, especializada na produção e difusão de indicadores de análise do mercado imobiliário, detendo índices e bases de dados sobre investimento e sobre os mercados de compra e venda e de arrendamento de fogos, com detalhe à freguesia.

Maia ocupa a 24ª posição a nível nacional dos concelhos com os valores de rendas de casa mais elevadas, com valor mediano de 4,78 €/m2, ocupando a quarta posição no ranking da Área Metropolitana do Porto.

As dez freguesias com valores mais elevados pertencem ao concelho de Lisboa, sendo a capital o concelho que está no topo dos 10 concelhos mais caros (9,62 €/m2). São dados que constam de uma análise levada até à reunião do executivo da Maia, em 21 de maio último, pelo Gabinete Maia Go.
Seguem-se Cascais, Oeiras, figurando o Porto em 4º lugar (6,77 €/m2). Seguem-se Amadora, Odivelas, Almada, ainda Matosinhos (5,99 €/m2), em 7º lugar, e só depois Funchal e Loures.

De destacar ainda que o concelho da Maia regista um valor superior à média global da Área Metropolitana do Porto (4,58 €/m2). Além da Maia, apenas Matosinhos, Porto e Vila Nova de Gaia se encontram acima do concelho maiato, no valor mediano da AMP.

É de ter em conta que o valor mais elevado (6,77 €/m2 registado no Porto) é mais de 2,4 vezes superior ao valor mais baixo (2,80 €/m2 registado em Vale de Cambra), atestando assim as enormes assimetrias dentro da Área Metropolitana do Porto.

Cidade da Maia regista as rendas mais elevadas das freguesias do concelhos

No que respeita ao concelho da Maia, o INE – Instituto Nacional de Estatística disponibiliza os valores de sete das 10 freguesias do concelho, sendo que a Cidade da Maia é a freguesia que regista o maior valor ficando-se em 5,19€/m2.

Além da sede do concelho, apenas Moreira e Pedrouços registam um valor acima da mediana do concelho, registando-se em ambos os casos um valor de 5,00 €/m2.

- Publicidade -