Maia integra Associação Internacional das Cidades Educadoras

0
196
Quadro decorado pelos alunos na Escola de Moutidos_Imagem A Santos
- Publicidade -

A Maia integra a Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE), que tem por objetivo transformar as cidades através da educação. A adesão ocorreu em janeiro deste ano.

A AICE é uma associação sem fins lucrativos, fundada em 1994, que funciona como uma estrutura permanente de colaboração entre governos locais de vários países, comprometidos com a Carta das Cidades Educadoras.

Esta Carta surge como um “roteiro comum” para a construção coletiva de cidades mais inclusivas, inteligentes e dinâmicas. O objetivo principal da AICE é “transformar as cidades através da educação”, vendo nesta o principal instrumento de mudança. 

A Maia junta-se assim às mais de 500 cidades – espalhadas por todos os continentes, num total de 36 países – que fazem parte da Associação Internacional das Cidades Educadoras. Este projeto já alcançou mais de 105 milhões de pessoas por todo o mundo.

Em Portugal a rede é constituída por 86 cidades associadas. Mais próximas da Maia, de referir que pertencem à rede as cidades de Barcelos, Esposende, Gondomar, Matosinhos, Porto, Vila Nova de Famalicão, Braga, Guimarães, Santo Tirso, Santa Maria da Feira ou ainda Valongo.

Um dos principais motes da Carta das Cidades Educadores é que “a educação transcende as paredes da escola para impregnar toda a cidade”.

No preâmbulo da Carta é referido: «Hoje, mais do que nunca, as cidades ou as vilas, grandes ou pequenas, dispõem de inúmeras possibilidades educadoras, mas sobre os municípios também podem incidir forças e inércias deseducadoras. De uma forma ou de outra, a cidade apresenta elementos importantes para uma educação integral: é um sistema complexo e, ao mesmo tempo, um agente educativo permanente, plural e poliédrico, capaz de potencializar os fatores educativos e de transformação social.

Na Cidade Educadora, a educação transcende as paredes da escola para impregnar toda a cidade. Uma educação para a cidadania, na qual todas as administrações assumem a sua responsabilidade na educação e na transformação da cidade num espaço de respeito pela vida e pela diversidade».

Outros fundamentos da Carta são a democracia, a inclusão e os direitos humanos: «A educação em valores e direitos humanos é mais urgente do que nunca, para dar sentido, incentivar, traçar um rumo democrático».

- Publicidade -