Mais de 400 pessoas fizeram rastreio do cancro colorretal no distrito do Porto

0
167
Fonte: canva
- Publicidade -

 

No distrito do Porto, 436 pessoas realizaram o teste de pesquisa de sangue oculto nas fezes, no âmbito da campanha de sensibilização para a deteção precoce do Cancro Colorretal, sendo o segundo distrito do país com mais rastreios realizados.

 

Nesta iniciativa, que decorreu de 15 de março a 14 de abril em 292 farmácias aderentes, foram realizados testes a um total de 4.190 indivíduos, com idades compreendidas entre os 50 e os 74 anos, na sua maioria mulheres (57%).

Os resultados negativos ultrapassaram os 95%. Já os testes positivos fixaram-se nos 4,2% (177 pessoas), em que nestes casos existiu uma recomendação para consulta médica com o objetivo de análise da situação e definição de próximos passos, nomeadamente a realização de colonoscopia, de acordo com as guidelines nacionais.

 

Em termos geográficos, o distrito de Lisboa foi o distrito com maior número de rastreios realizados (2.036), seguido do Porto (436), Setúbal (267), Coimbra (210) e Castelo Branco (197).

 

Katrien Buys, Diretora de Estratégia, Inovação e Sustentabilidade do Grupo Ageas Portugal, refere que “os resultados da campanha superaram as expectativas, o que reforça a importância desta iniciativa, especialmente num momento em que os rastreios e a prevenção passaram para segundo plano.

O cancro colorretal é um dos tipos de cancro mais comuns e a sua incidência continua a aumentar, pelo que é urgente sensibilizar e incentivar os portugueses para o rastreio, permitindo identificar a doença numa fase inicial e salvar vidas. O nosso objetivo passa por continuar a abraçar este tipo de iniciativas e contribuir, de alguma forma, para a melhoria da saúde dos portugueses”.

 

Sensibilizar para a deteção precoce do Cancro Colorretal é uma das principais missões do “Movimento 50+”, que através de uma campanha nacional apoiada pela Fundação Ageas, Médis, Farmácias Portuguesas, Fundação Millennium bcp, Fundação Calouste Gulbenkian, Europacolon Portugal, Alliance Healthcare e Laboratório Germano de Sousa, permitiu testar mais de 4.000 portugueses, com o objetivo de prevenir esta doença.

- Publicidade -