Mais de mil crianças correram pela Causa da Criança

0
170

“Correr por uma boa causa”. Foi este o mote da corrida solidária que juntou professores, pais e filhos, na manhã da passada sexta-feira, no estádio Dr. Costa Lima, no Castelo da Maia. A iniciativa foi organizada pelos jardins-de-infância e escolas do 1º ciclo do Agrupamento de Escolas do Castelo da Maia.

E contou com o envolvimento de aproximadamente 1200 crianças que, desta forma, contribuíram para a angariação de fundos a favor da Causa da Criança, instituição que acolhe crianças e jovens em risco no CAT da Prosela, em Vila Nova da Telha. “É uma instituição que tem prestado um serviço muito bom à sociedade, no acolhimento de crianças e jovens”, justificou Margarida Machado, uma das docentes responsáveis pela organização da corrida solidária.

A cada criança foi entregue um envelope, que levaram para casa, destinado a colocar a contribuição dos seus familiares. Depois de feitas as contas, o total angariado rondou os 5400 euros, um valor que a professora Margarida Machado considerou “muito bom”. A verba foi entregue no final da corrida solidária, ao presidente da Causa da Criança, Álvaro Gil Azevedo.
Desenvolver sentimentos de solidariedade nas crianças, era outro dos objectivos da iniciativa, “para eles perceberem que há crianças que têm condições de vida diferentes das deles, e que eles, que têm melhores condições, podem contribuir para resolver alguma desigualdade”. “O espírito base, é desenvolver o espírito de solidariedade e partilha”, sublinhou Margarida Machado.
“Correr por uma boa causa”, surgiu na sequência da corrida organizada pela Médicos do Mundo, também com fins solidários. As escolas do Castelo participaram na corrida, pela primeira vez, há dois anos.

Este ano, a Médicos do Mundo fez uma pausa na iniciativa. Mas o agrupamento decidiu dar continuidade à corrida solidária, escolhendo como instituição beneficiada a Causa da Criança. “Achamos que foi uma actividade muito bem conseguida e positiva para as crianças, porque envolveram-se muito e os pais também, e porque achamos que é muito importante nesta sociedade tão individualista, tão egoísta, fazê-los pensar um bocadinho nos outros. Então, resolvemos que faríamos na mesma e que as verbas angariadas seriam a favor de uma instituição do concelho”, explicou Margarida Machado.

Fernanda Alves