Mais um dia sem novos casos de Covid na Maia (871)

0
3841

Na Maia, o número de novos casos positivos tem vindo a estabilizar, nos últimos dias, sendo que hoje volta a não haver qualquer novo caso de infeção.

O boletim epidemiológico publicado hoje pela DGS indica que nas últimas 24 horas morreram 20 pessoas e 242 foram confirmadas como novos casos de infeção por COVID-19 em Portugal.

O número de óbitos passou de 1.043 para 1.063 e o número de casos confirmados subiu de 25.282 para 25.524. Há neste momento 1.712 recuperados.

A região Norte continua a ser a mais atingida, com o número de casos a ascender a 15.141 (+120 que ontem), e o número de mortos atinge 609 (+12).

O concelho vizinho de Trofa regista os mesmos 139 infetados há três dias consecutivos, Santo Tirso tem 356 (+4), Matosinhos está com 1149 (=), Valongo com 729 (=).

Os mais afetados pela covid19 são Porto e VN Gaia, com, respetivamente, 1258 positivos (+11) e 1418 (+5).

Arranca hoje plano de desconfinamento em situação de calamidade

Comércio local, cabeleireiros, manicures e similares, livrarias e comércio automóvel retomam hoje atividade, de acordo com o Plano de Desconfinamento do Governo divulgado na semana passada.

Os transportes públicos começam a circular com lotação máxima de dois terços da capacidade e os utentes têm de usar obrigatoriamente máscaras ou viseiras, prevendo-se coimas entre 120 e 350 euros para quem não cumprir.

Em relação às visitas a lares, a ministra da Saúde informou que estas estão a ser “repensadas” no sentido de criar estratégias de segurança. O Sindicato Independente dos Médicos lançou alguns alertas em relação aos riscos do desconfinamento.

A Ordem dos Médicos defendeu hoje uma campanha de comunicação massiva sobre o bom uso de máscaras, o reforço dos rastreios da COVID-19 nos lares e a criação do “Passaporte Imunológico”, entre outras medidas.

Vários especialistas consideram que a máscara deve ser a opção principal, e não a viseira, que deverá ser entendida como um método complementar. Só em duas semanas, as farmácias venderam 9,7 milhões de máscaras, apesar de os portugueses considerarem o preço deste material elevado para o investimento que irá exigir por mês.

A “resposta rápida” de Portugal no combate ao coronavírus continua a merecer destaque na imprensa internacional.