Mais um espaço verde na Maia

0
171

Depois de três dias a inaugurar equipamentos escolares e equipamentos desportivos nas escolas, na quinta-feira da semana passada, o presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, voltou-se para o ambiente e inaugurou o Parque do Novo Rumo. Ao seu lado, esteve o presidente da Junta de Freguesia da Maia, Carlos Teixeira, que viu assim concluída uma reivindicação antiga.

O novo parque, localizado no centro da cidade da Maia, junto à Estrada Nacional 14, tem uma área de 19 mil metros quadrados e custou a edilidade cerca de 240 mil euros e tem como valências um parque infantil, um parque geriátrico, destinado aos seniores, com máquinas de exercício, caminhos pedestres e circuito para bicicletas. A forma dinâmica como se apresenta o Parque Urbano do Novo Rumo, faz com que todas as faixas etárias possam usufruir do mesmo.

Justifica-se o autarca dizendo que o mandato tem quatro anos e que para qualquer empreitada “é preciso projectar, lançar a concurso e construir”. “Por isso é que temos quatro anos para fazer as obras e estamos a acabá-las agora tanto na acção desportiva, como na acção social, como na educação e no ambiente”. Acrescentou ainda que tudo o que é relacionado com a câmara municipal está em vias de conclusão de obra. Em alguns casos, referiu, estão agora a comprar os terrenos para a sua construção. A título de exemplo apontou a compra do terreno para a construção do Centro Cívico de Avioso São Pedro.

Mas em dia de inauguração prefere destacar o “belíssimo parque”, onde aproveitaram todos estes taludes para colocar relvado. “Era um local que estava completamente abandonado, agora tem acesso directo ao metro, está muito próximo da Câmara Municipal e está inserido numa das mais bonitas cooperativas da Maia”. A cooperativa do Novo Rumo tem mais de 30 anos mas o presidente da Câmara Municipal entende que esta está bem cuidada e que lhe faltava “algo” e esse algo, ressalva, era este parque com caminhos pedonais. “De facto os moradores reclamavam este parque, conseguimos o terreno e fizemo-lo”.

Este é o sétimo parque construído pela Câmara Municipal e quando se refere a parque, está a falar de espaços com cerca de 20 mil metros quadrados, ressalva.

Mas se os moradores há muito reclamavam o parque, na hora da inauguração houve quem reclamasse a construção de um wc. Bragança Fernandes deixou a garantia de que o assunto vai ser estudado e que, “com certeza” vão encontrar uma solução. “Não queremos um mamarracho, vamos mandar estudar algo que se enquadre no local”.

Existem ainda cerca de 7500 metros quadrados de terrenos, onde está o esqueleto daquela que ia ser a Escola Superior de Negócios. Bragança Fernandes ainda que a edilidade maiata está à procura de alguém para ocupar o espaço, onde queriam que fosse instalado o Palácio da Justiça, mas o Governo de José Sócrates rompeu o protocolo que tinham assinado com o Governo anterior. “Vamos agora esperar pelo novo Governo”. Bragança Fernandes ainda tem esperança que o Palácio da Justiça ocupe o espaço porque “é um local com boas acessibilidades, perto da estação do metro, perto do centro da cidade, com estacionamento, óptimos acessos. Para mim é dos melhores locais que a Maia tem para o Tribunal. Por isso é que nós não o vendemos porque tenho esperança que se instale no local a Comarca da Maia”, justificou o autarca.

Isabel Fernandes Moreira