Moradores do Empreendimento da Vessada limpam Ribeira do Arquinho

0
246

Não foram muitos mas vontade não faltou a moradores do Empreendimento Habitacional da Vessada, em Milheirós, e a trabalhadores da empresa municipal Maiambiente, que juntos, durante uma manhã, trataram de limpar a Ribeira do Arquinho. A iniciativa surgiu dando continuidade ao trabalho de animação ambiental que tem vindo a realizar-se nos Empreendimentos de Habitação Social.

Foi mais uma acção de sensibilização ambiental, que tem como parceiros a Maiambiente, o Projecto Rios, o Condomínio de Empreendimento Municipal da Vessada e a Corrente do Leça e que consistiu na limpeza das margens da Ribeira do Arquinho, efectuada por voluntários residentes nas imediações, nomeadamente no empreendimento de habitação social e pelos funcionários da Maiambiente.

A acção começou com uma explicação sobre a vegetação existente junto à linha de água. O engenheiro ambiental, Artur Branco explicou aos presentes o que são plantas autóctones, típicas de uma margem ribeirinha, o que são plantas exóticas e infestantes. Acima de tudo, com estas acções pretendem sensibilizar as pessoas para um cuidado que é preciso ter. “Dar-lhes também a entender que a população tem um papel muito activo e essencial na recuperação das linhas de água; terem a noção de que não é normal uma ribeiro estar poluída, que não é normal estar muitas vezes com a cor que está e se nós tivermos esse retorno da população, se a conseguirmos envolver nesse sentido, ficaremos todos a ganhar”, justifica o técnico.
Artur Branco considera que envolver a população será um passo “fundamental” para seguir rumo à recuperação do Leça. “Mais do que soluções técnicas e soluções que custam milhões, precisamos é sensibilizar as pessoas para a conservação e sobretudo os proprietários porque eles são os intervenientes principais nesta questão.

De acordo com o engenheiro ambiental, trata-se de um projecto complementar ao Projecto “Corrente Rio Leça”, que arrancou no ano passado e está ainda numa fase piloto e que passa pela tentativa de envolver os empreendimentos municipais. “Estamos a estabelecer parcerias com a Espaço Municipal que é quem gere os empreendimentos e estamos a ir aos empreendimentos municipais, tentar dar-lhes a iniciativa, tentar dar-lhes uma certa autonomia para que eles próprios se organizem e no fim das acções adoptem um troço de rio, no âmbito do projecto “Rios”, que prevê a ‘adopção’ de 500 metros do rio pelos moradores e pela empresa municipal. A adopção da linha de água prevê a monitorização e zelo da ribeira por parte da população, explica Artur Branco. “Vamos fomentar um pouco a curiosidade científica para que uma pessoa sem qualquer formação possa pegar nas fichas de campo do projecto Rios e possam fazer a monitorização”.

Isabel Fernandes Moreira