Na saúde, quem factura é a Maia

0
179

Foi ontem inaugurado, na Zona Industrial da Maia, o novo Centro de Conferência de Facturas do Serviço Nacional de Saúde (SNS). O serviço já funciona desde Fevereiro e vai permitir ao estado poupar sete milhões de euros por ano, ao centralizar os processos de conferência de facturas de medicamentos, de meios complementares de diagnóstico e terapêutica e também de outras prestações complementares.

Na cerimónia de inauguração, ontem à tarde, a ministra da Saúde, Ana Jorge, sublinhou que o projecto era há muito desejado pelo Governo.

[audio:ana_jorge_CCF.mp3]

A conferência de facturas abandona as 18 sub-regiões de saúde e passa a ser centralizada na Maia, num serviço que dá emprego a 180 trabalhadores. Ma as instalações têm capacidade para acolher “até cerca de 300 trabalhadores nas diferentes áreas e fases de conferência”, lê-se numa nota de imprensa da Administração Central do Sistema de Saúde.

O novo centro custou ao Estado cerca de 37 milhões de euros e é gerido por uma consultora privada, a Accenture.

Pedro Póvoas