Obras de recuperação da ponte do Pinto (Milheirós) avançam no início do ano

0
332
Ponte da rua do Pinto
- Publicidade -

O presidente da Câmara, Silva Tiago, afirmou na Assembleia Municipal da última 2ª feira, dia 14, que a ponte do Pinto, em Milheirós, não está esquecida, apesar de fechada há cerca de um ano ao trânsito.

Na sequência de pedidos de esclarecimento acerca de vários problemas em vias de circulação no concelho, formulados no período de antes da ordem do dia, pelo deputado da CDU, Alfredo Maia, que também colocou a questão sobre a ponte do Pinto, o presidente do executivo informou que já se mandou fazer o projeto de remodelação da ponte do Pinto e também da ponte do Arco, ambas de granito, sendo que já foi lançado o concurso público para estas empreitadas.

Silva Tiago recordou que as intempéries de dezembro do ano passado provocaram diversos estragos e que foi preciso encerrar a ponto do Pinto ao trânsito, “já lá para um ano”, no entanto assegurou que o problema está em vias de resolução.

O presidente da Câmara confirmou perante os deputados que as obras de intervenção deverão começar no início do próximo ano e que as duas intervenções (ponte do Pinto e ponte do Arco) estão estimadas em 300 mil euros.

Silva Tiago aproveitou a oportunidade para explicar ainda que foram feitas e estão programadas diversas outras obras de melhoramentos de vias essenciais para o concelho.

“Já arranjamos o viaduto na Av. Eng.º Belmiro de Azevedo, no Castelo da Maia, sobre a passagem do metro, num investimento de 253 mil euros, também foi intervencionada outra ponte na Rua do Souto, um viaduto que serve o ecocaminho e que ficou por 130 mil euros”, explicou.

Entretanto, o autarca adiantou que a Câmara se prepara para arranjar os viadutos na Av. Afonso Henriques, em Pedrouços, junto à Ponte de Brás Oleiro, e um outro na Gândara, alargando passeios. O concurso público destas duas intervenções será lançado em conjunto.

E a explicação prosseguiu: “lançamos concurso para o ramal de acesso ao Maia Shopping, em Ardegães, onde tivemos uma ruptura de um muro. O ramal de acesso padeceu e vamos intervir com o apoio da SONAE. Isto porque foi a empresa que fez as obras há cerca de 20 anos, e após termos contactado o grupo empresarial, os seus responsáveis disponibilizaram-se para pagar 100 mil euros de apoio, que é metade do custo desta obra”.

- Publicidade -