“Operação Férias” sem assaltos na Maia

0
138

Aos slogans turísticos “Vá para fora cá dentro” ou, mais recentemente, “Descubra um Portugal maior”, poder-se-á juntar o lema “vá de férias descansado. A sua casa fica a nosso cargo”. Este poderia bem ser um slogan da “Operação Férias”, uma das operações especiais da Polícia de Segurança Pública (PSP). Está disponível todos os anos, entre 1 de Julho e 15 de Setembro. Inclusive nas duas esquadras da PSP no concelho – Águas Santas e Maia. Até agora, sem qualquer ocorrência registada durante o período de ausência dos proprietários.

Porque “prevenir é proteger”, conforme se lê no sítio da PSP na Internet, todos os cidadãos que saiam para férias durante este período e vão deixar a casa desabitada, podem requerer o serviço na esquadra da sua área. Sem pagar nada por isso. Devem fazê-lo até 48 horas antes do início desse período de ausência, bastando para isso preencher o respectivo formulário, a que devem juntar cópia do Bilhete de Identidade e comprovativo da morada.

Para as freguesias da Maia, Vermoim e Gueifães, essa “Operação Férias” é assegurada pela esquadra da PSP da Maia, que conta já com um total de 12 pedidos de vigilância a residências durante período de férias. Destes, sete estão ainda em curso e há já um pedido para começarem as visitas a 1 de Agosto. Estão relativamente distribuídos pelas três freguesias, embora com maior incidência em Gueifães.

Somam-se os 13 pedidos de vigilância de residências que deram entrada na esquadra de Águas Santas, cuja área de intervenção engloba ainda as freguesias de Milheirós e Pedrouços. O número de pedidos em cada uma delas acaba por ser proporcional ao número de habitantes que lá residem.

Não sendo possível ter agentes unicamente adstritos a esta operação, são os elementos de serviço em cada turno que asseguram as visitas às residências durante o período de ausência dos proprietários. O comandante da PSP da Maia, o Sub-comissário Manuel Eira, explica como é feita essa vigilância:

[audio:VISITAS.mp3]

O agente está sempre obrigado a registar essas visitas, realizadas “de forma sistemática e metodológica, verificando os aspectos exteriores de inviolabilidade do domicílio”, acrescenta o site da polícia. Por exemplo, se houver acesso à porta, é também verificado pelos agentes se houve alguma tentativa de estroncamento.

Em ambos os casos, o principal objectivo é dar “visibilidade”, com um papel “essencialmente dissuasor”, explica o Sub-comissário. A este propósito, o comandante da esquadra da PSP de Águas Santas, o Sub-comissário Pedro Rocha, acrescenta tratar-se de mais um exemplo do “policiamento de proximidade”.

Cidadãos satisfeitos

O primeiro factor do sucesso da “Operação Férias” prende-se com a ausência de ocorrências registadas durante o período em que tenhas as residências sob a sua guarda.  Esse sucesso e, sobretudo, o factor associado a maior segurança, faz com que se repitam os pedidos, ano após ano, admite o Sub-comissário Pedro Rocha, da PSP de Águas Santas:

[audio:SEGURANCA.mp3]

Para quem for adepto das novas tecnologias, nem precisa sair de casa para solicitar a vigilância da residência durante o período de férias. No âmbito do Simplex, o Ministério da Administração Interna disponibiliza, desde 2008, o serviço denominado “Verão Seguro-Chave Directa”.

Basta aceder ao endereço electrónico https://veraoseguro.mai.gov.pt/, entre 1 de Julho e 15 de Setembro, e fazer o pedido indicando o código postal da área de residência.

Marta Costa

(Notícia a desenvolver na edição de hoje de Primeira Mão)