Padre Alcindo Barbosa

0
243

O Padre Alcindo de Azevedo Barbosa nasceu em Mosteiró, Vila do Conde em 11 de Janeiro de 1924 e morreu esta semana dia 4 de Janeiro de 2011, uma semana antes de completar a bonita idade de 87 anos.
O Padre Alcindo Barbosa foi ordenado sacerdote no dia 1 de Agosto de 1948, com a idade de 24 anos.
Foi Professor no Seminário de Vilar, e em várias escolas lecionou religião e moral.
Veio para Paroco da minha freguesia, Moreira da Maia, em 8 de Outubro de 1967, onde permaneceu durante 40 anos.
A nossa Prestigiada e Histórica Igreja Conventual de S. Salvador de Moreira, teve a honra de poder contar com a entrega e a dedicação de um homem como o Padre Alcindo Barbosa.
Além de pároco de Moreira, o Padre Alcindo foi também durante um longo periodo, pároco de Vila Nova da Telha.

Durante a sua presença na nossa freguesia, lecionou religião e moral na nossa escola, agrupamento Doutor Vieira de Carvalho, escola, onde nos encontramos, eu como aluno, e o Padre Alcindo como meu professor.
O Padre Alcindo, juntamente com a comissão fabriqueira, com a Junta de Freguesia de Moreira e em especial com o apoio da Camara Municipal da Maia, levou a cabo diversas obras, nas nossas muitas capelas, cemitério, e em especial na nossa Histórica Igreja, onde além das imagens e ricos altares, possuimos um orgão de tubos, tido como um dos mais importantes do mundo, que teve á uns anos atrás uma profunda reforma de grande valor.
Como confessor, como educador, como amigo, marcou positivamente cada paroquiante, muitos foram por ele batizados, por ele casados, por ele foram batizados os seus filhos, pela sua acção muitos fizeram as comunhões, crisma, etc.

Vivia o dia a dia da freguesia, com muito interesse, e sou testemunha da sua visão global de toda a Maia.
Tinha para comigo uma forte amizade, acompanhava todos os meus passos, pessoais, politicos, desportivos ou empresariais.
Desde miudo, sempre convivemos muito, em especial na minha Capela de Sta. Luzia, onde ía a missa com a minha Avó, onde tinha a catequese, e onde cantava e ajudava na missa. No entanto a Igreja conventual de S. Salvador de Moreira foi sempre a nossa casa grande, o nosso orgulho, o lugar dos grandes acontecimentos eclesiásticos da nossa Freguesia.

Uma dedicação de 40 anos, é um caso raro e digno de registo, respeito e admiração.
Nas cerimonias fúnebres, muitos foram aqueles que homenagearam o nosso Padre Alcindo Barbosa, a todos o meu muito obrigado, Moreira mostrou ter memória.
Como diza Fernando Pessoa “Morrer, é apenas não ser visto”.
Como tal o nosso Padre Alcindo Barbosa, continuará sempre no meio de nós, enquanto nós não o esquecermos.

Francisco Vieira de Carvalho