Pandemia trocou as voltas a projeto da APPACDM da Maia

0
272
imagem DR
- Publicidade -

 

A pandemia veio alterar o projeto do novo CAO – Centro de Atividades Ocupacionais da APPACDM da Maia, contou ao Primeira Mão, Jaime Teixeira, presidente da direção da instituição.

A instituição tinha 18 utentes no Centro de Vermoim (Sobreiro), com instalações exíguas e preparava-se para iniciar as obras na escola da Granja, cedida pela Câmara da Maia, e assim poder dispor de um espaço mais adequado e que até permitia receber mais clientes, 30 em vez dos 18.

Mas as obras demorariam um ano. E eis que surge a pandemia, como nos explicou o presidente da direção da APPACDM da Maia, Jaime Teixeira, “o distanciamento social impossibilitava a permanência de 18 pessoas naqueles 75 metros quadrados do CAO Vermoim”.

Jaime Teixeira explicou-nos que teve que voltar a solicitar o apoio da autarquia, para a cedência de outro espaço provisório. Surge então a oportunidade de transferir o CAO para a escola de Cristal, também em Águas Santas.

Jaime Teixeira_Foto A Santos

Projeto em Águas Santas (Maia) ascende a 440 mil euros

A escola é muito maior, tem dois pisos, e foi possível manter o distanciamento social. Desta maneira, o anterior projeto da escola da Granja foi deixado de lado e, em breve, a APPACDM vai realizar as obras de remodelação na escola de Cristal, mediante um “contrato de comodato com a Câmara da Maia por 25 anos”. Será um investimento de 440 mil euros, com 183 mil comparticipados pelo Norte 2020.

A Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) da Maia é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) que proporciona serviços a indivíduos com deficiência mental, a partir dos 16 anos. Assim, esta instituição promove a integração dos cidadãos na comunidade e, ao mesmo tempo, faz um acompanhamento às famílias.

Atualmente, a APPACDM é constituída por três Centro de Atividades Ocupacionais (CAO), em Águas Santas, S. Pedro de Avioso e em Vila Nova da Telha, que também funciona como Lar Residencial. Em conjunto, estes equipamentos acolhem 100 pessoas.

O projeto inicial do CAO na escola da Granja já tinha sido submetido a licenciamento e à aprovação da Segurança Social, mas a APPACDM teve que reformular o projeto. Instalados na escola de Cristal, a instituição já teve que realizar “adaptações de acessibilidade, como por exemplo, para as cadeiras de rodas”.

Com 18 clientes na escola de Cristal, Jaime Teixeira refere que “agora, as condições são mais favoráveis. Temos salas com cerca de 50 metros quadrados e conseguimos colocar 10 meninos em cada uma”.

No entanto, o caminho foi atribulado. “Pedimos o financiamento para esta escola à área metropolitana do Porto, através do Norte 2020, que veio concedido para a escola da Granja, mas depois ainda tivemos de andar aqui com papéis para que essa verba de 183 mil euros fosse transferida para a de Cristal. Estava difícil e ainda mais, porque o projeto de 17 mil euros foi ao ar. Mas teve que ser porque a adaptação era necessária”.

Edifício novo, projeto novo.

“Como o edifício era diferente o projeto também teve de ser e o gabinete de arquitetura não nos cobrou como se fosse um projeto novo. Teve isso em consideração. Mas como o total da obra será em princípio, 440 mil euros, para além dos 183 mil do financiamento, temos de arranjar 250 mil de capitais próprios”. Para isso “pedimos ajuda à comunidade empresarial e a que nos apareceu foi da parte da Soc. Com. C. Santos, na Maia, o que foi ótimo”, refere Jaime Teixeira.

A equipa da APPACDM chegou à conclusão que, de certa forma, a deslocação forçada pela pandemia foi benéfica. “Foi criada uma via na autoestrada que ia acabar por vir cair quase em cima da escola da Granja. Não íamos ter logradouro nenhum e entrar com a viatura ia ser muito complicado”, concluiu Jaime Teixeira.

- Publicidade -