Pedrouços está em festa

2
312

Mais um ano e a Nossa Senhora da Natividade volta à rua para continuar a proteger as futuras mães. Nove meses depois da Imaculada Conceição, surgem as festas que se celebram em Pedrouços, com novo fulgor há cerca de três anos. À frente da comissão de festas continua Joaquim Araújo, que agora tem de conciliar esse cargo com a presidência da Junta de Freguesia de Pedrouços.

É o primeiro ano a assistir às festas como presidente, mas o terceiro à frente da Comissão de Festas em honra de Nossa Senhora da Natividade, a festa que trás “milhares” a Pedrouços e que arrancou na passada quarta-feira. Já lá vão dois dias, é certo, mas a festa continua na rua até à próxima segunda-feira, dia 13.

Pedrouços é uma freguesia jovem. Está colada à cidade do Porto, bem perto da Areosa, e além da invicta também faz fronteira com os concelhos de Matosinhos, Valongo e Gondomar. O facto de estar “encravada” entre tantos municípios, aliado ao forte crescimento habitacional da freguesia, ou seja, “dormitório”, podiam ditar a falta de identificação da população com as festas. No entender de Joaquim Araújo, isso não acontece. “Há muita devoção das gentes da freguesia à padroeira… da freguesia e até gente de fora, vêm aqui aos milhares”, diz o responsável.

E por falar em milhares, o orçamento para as festas deste ano continua em valores semelhantes ao dos passados três anos, e a população tem aderido em massa aos peditórios realizados pela freguesia. Adesão que é um tónico para “fazer esquecer” o trabalho que a festa dá a preparar. “Mal uma acaba, começamos logo a trabalhar na do próximo ano”, lembra Joaquim Araújo. Diz ainda o responsável pela comissão de festas que “tendo em conta o ano de crise, nós estamos muito satisfeitos com as verbas alcançadas”. Facto que prova a mobilização da população da freguesia. “As pessoas não abdicam das festas, fazem um bocadinho mais de esforço mas não podem passar sem elas”, revela Joaquim Araújo.

O dia grande da festa é, como não podia deixar de ser, o dia da procissão. Este ano já com os andores todos: 17. O ano passado ficou a faltar um e eram apenas 16. Domingo é o dia alto das festas em Honra de Nossa Senhora da Natividade, em Pedrouços. Os andores vão serpentear a freguesia. A maior concentração humana está prevista para a avenida que foi baptizada com o nome da padroeira, em pleno centro de Pedrouços. “É o dia em que todos os santinhos vêm à rua”, acrescenta Joaquim Araújo, que destaca também o fogo-de-artifício que encerra o dia de amanhã e do último dia das festas, segunda-feira.

As festas já “marcham”. Tudo está conjugado para que funcione bem. O único inimigo pode ser apenas o tempo. Pede-se então ao São Pedro para que colabore com a Nossa Senhora da Natividade “porque a população merece”. A julgar pelas previsões, calcula-se que o tempo seja “amigo” das festividades. A chuva não vai marcar presença durante os dias da festa e adivinham-se temperaturas por volta dos 25 graus para o fim-de-semana. Não se avizinham dificuldades meteorológicas, portanto.

Dificuldades podia ter sentido Joaquim Araújo, ao tentar conciliar dois cargos presidenciais: o da comissão de festas e o da Junta de Freguesia de Pedrouços. Tal não aconteceu. “Tenho conciliado bem os dois papéis”, confessa o autarca eleito nas últimas eleições.

A festa “rija” começa hoje, logo de manhã, com uma alvorada de morteiros às 9h00. Depois da missa com homilia, às 20h30, segue-se um espectáculo com “Império Show”, que vai ter lugar na Avenida da Nossa Senhora da Natividade. Para amanhã repete-se o despertar ao som dos morteiros quando forem 9h00. Quem quiser reservar o sábado para dormir pode deixar a ideia de lado, porque depois da salva de morteiros entram nas ruas de freguesia grupos de bombos. Lá mais para a noite, missa vespertina quando forem 20h30, com a actuação do grupo coral de Nossa Senhora da Natividade. O dia de amanhã termina com o espectáculo de fogo-de-artifício, marcado para as 23h45. Domingo é o dia grande das festas, que começa bem cedo, com missa às 8h00, seguida de salva de morteiros, às 8h30. Depois da manhã preenchida pela Banda Marcial de Gueifães e pela Banda União Musical Pessegueirense, meia hora antes da procissão, às 16h30, sai do quartel de Pedrouços a fanfarra dos bombeiros voluntários da freguesia. A noite encerra com um festival dedicado ao folclore. Para segunda, o acordar também vai ser marcado com morteiros. Ao final do dia, actua o grupo “Função Pública” às 21h30. As festas dizem “adeus, até para o ano” quando forem 23h45, hora do fogo-de-artifício final.

Pedro Póvoas

2 COMENTÁRIOS

  1. Aqui começa a Maia, a partir da cidade do Porto (Areosa). Também há 3 anos começou a projectar-se e a divulgar-se mais, esta mais jovem freguesia da Maia, graças ao empenho e dedicação da Comissão de Festa da Padroeira de Pedrouços.
    Bem Haja!

  2. Começo por dizer que nada tenho contra esta ou quaisquer outras festas religiosas. Sou morador em Pedrouços, junto à fonte luminosa e aproveito este espaço para manifestar o meu descontentamento na forma como está a decorrer esta festa, no que diz respeito à animação. Os carroceis produzem um barulho ensurdecedor até demasiado tarde, quase 2h da madrugada, mesmo em dia de semana quando as pessoas trabalham, prejudicando assim o seu normal descanso. Depois, ainda antes das nove da manhã, num sábado somos acordados com uma espécie de fanfarra. Haja bom senso, isto é lamentável! PS: Temos todos mesmo de ‘levar’ com as missas difundidas pelas colunas de som espalhadas pela freguesia???

Comments are closed.