Pequenos Lidadores Descobriram a Europa

0
175

Chegaram ao Estádio Municipal da Maia às 9h00 de sábado, dia 30, quando os termómetros já tinham ultrapassado os 30 graus. De 41 escolas, acompanhados por 130 professores, 1200 crianças, com idades compreendidas entre os 6 e os 11 anos. São os números do evento “Pequenos Lidadores Descobrem a Europa – VII Torneio Inter-Escolas e Feira da Europa”. A iniciativa marcou o fecho das Actividades de Enriquecimento Curricular das várias escolas maiatas.

Veja o vídeo:

 

O sol era quase insuportável e obrigou a cuidados acrescidos. No campo de treinos do estádio maiato, as crianças dos 1º e 2º anos que participavam nas actividades de Inglês, Música, Informática e Expressão Plástica estavam já protegidas contra os raios solares e o intenso calor que se fazia sentir. Divertidos, os mais novos descobriam os países europeus, aprendiam a tocar Mozart, participavam em jogos interactivos e desenhavam animais. Bernardo, um jovem do 2º ano, mostrava dificuldades em desenhar um gato. "Não consigo", confessava o jovem. A ajuda acabou por surgir e o pequeno artista esboçou um pequeno felino. As actividades de Inglês eram as mais concorridas: o espaço onde eram levadas a cabo encontrava-se na sombra de uma das árvores do campo de treinos do Estádio Municipal da Maia.

O tempo obrigou a organização a desenvolver acrescidos esforços para fornecer água e comida às mais de mil crianças que participavam no evento. Do outro lado do recinto municipal, no relvado principal, estavam os mais velhos. Os alunos dos 3º e 4º anos disputavam entre si jogos de andebol, futebol e basquetebol, embora alguns achassem mais divertido refrescar o corpo nos sistemas de rega. Pelas 11h30 da manhã, o evento aproximava-se do fim e os mais pequenos rumaram ao relvado principal e desfilaram na pista de tartan.

Ao todo, ficaram 1200 crianças concentradas num só relvado. Para o director do Departamento de Desporto da Câmara Municipal da Maia, José Pedrosa, "o número está longe do que era previsto". A culpa é da obrigatoriedade das Actividades de Enriquecimento Curricular. José Pedrosa defende que o anterior sistema de actividades físicas escolares, em regime livre e facultativo, levava 90 por cento das crianças maiatas às iniciativas. Mesmo insatisfeito com os números, o responsável autárquico considera a iniciativa "um sucesso" e acrescenta que "tudo o que seja feito em prol dos jovens, principalmente em alturas conturbadas da sociedade como esta, é importante". Destaca ainda o papel do desporto na educação dos mais novos e sublinha que a actividade física ajuda as crianças a "fazer opções". José Pedrosa não espera que todos sejam grandes desportistas, e considera que o importante são "os princípios identificadores do desporto" na educação dos mais pequenos.

Para o responsável máximo pela autarquia maiata, Bragança Fernandes, o número era satisfatório. "Estamos todos de parabéns", disse. Para Bragança Fernandes, "é bom que a juventude comece a participar desde cedo no desporto". O autarca considera que "é no desporto que se aprende a igualdade de oportunidades. Não há diferenças entre o rico e o pobre, obedecem ao apito, ter dinheiro ou não ter dinheiro é tratado exactamente de igual forma". O autarca avança que "estas manifestações são para continuar".

O evento "Pequenos Lidadores Descobrem a Europa" terminou com um desfile dos alunos mais novos na pista de tartan, ao que se seguiu uma dança popular coreografada e ensaiada pelos professores de actividade física e desportiva das escolas maiatas.