Portugueses querem ser vacinados quando vacina contra covid19 ficar disponível

0
240
covid19 1500x864
coronavírus covid19

Investigadores nacionais em conjunto com homólogos de universidades europeias realizaram estudo tendo concluído que 75% dos portugueses pretende ser vacinado quando a vacina contra covid19 estiver disponível.

Uma pesquisa elaborada por 7 países europeus – revela que há confiança perante a vacina contra covid19: 75% dos portugueses tencionam ser vacinados contra o COVID-19 quando a vacina ficar disponível e 70% estão completamente confiantes de que a vacina será segura.

Entre a primeira vaga de inquéritos de abril e esta segunda vaga, os portugueses mantêm-se como os europeus que maior vontade demonstram de virem a ser vacinados contra o COVID-19 assim que a vacina estiver disponível, numa percentagem de 75%. 

Inclusive, na faixa etária dos 55 aos 64 anos ocorreu um ligeiro aumento na disposição de vacinar (+6 pontos percentuais). Os homens são os que se mostram mais dispostos a vacinarem-se (78%), assim como indivíduos com alta escolaridade (78%).

Além disso, aqueles que conhecem alguém oficialmente diagnosticado com COVID-19 estão mais dispostos a vacinar do que aqueles que não conhecem ninguém com COVID-19 (81% vs 74%).

A pesquisa revela ainda que 70% dos portugueses estão completamente confiantes de que a vacina contra o COVID-19 será segura, subindo a percentagem de confiança nos que têm entre 55 e 64 anos, entre os quais 79% acreditam na segurança da vacina.

Inquiridos quanto à possibilidade da vacina poder não estar disponível em número suficiente para que todos sejam vacinados imediatamente, os portugueses acreditam que a prioridade deve ser definida por uma equipa nacional de especialistas (73%), pelas organizações de saúde que administram a vacina (68%) e pelo e ao Ministério da Saúde (52%).

 
Preocupação em relação aos efeitos da pandemia na Saúde e Economia

Embora, em comparação com a primeira pesquisa do estudo realizada em abril, os portugueses se mostrem agora menos preocupados com o impacto da pandemia na Economia e Saúde (com exceção dos Açores), as preocupações com as consequências da pandemia permanecem altas.

De entre os países europeus envolvidos na pesquisa, em Portugal é onde existe uma maior preocupação com o impacto da pandemia, revelando que 67% dos portugueses estão muito preocupados com a eventual sobrecarga do sistema de saúde ou temem perder uma pessoa próxima, enquanto que na Europa a percentagem varia entre 23 e 60%.

Quanto às preocupações económicas, 78% dos portugueses mostram-se receosos quanto à perda de negócios das pequenas empresas (contra 36-71% em outros países da UE) e 57% dos portugueses temem ficar desempregados (contra 13-51% em outros países da UE).