Professores da Maia aderiram à greve nacional

0
151

"Está na hora, está na hora da ministra ir embora". "Milu, milu preenche as fichas tu". "São os loucos de Lisboa que nos querem avaliar". "Obrigada ministra por nos teres unidos". Estas foram algumas das palavras de ordem usadas, esta manhã, na Praça do Município, na Maia, pelos professores.

Foi assim a resposta dos professores à greve nacional convocada pelos sindicatos dos professores e nem a chuva os demoveu. Vieram de várias escolas, um pouco de todo o concelho e concentraram-se na Praça do Município, a cantar palavras de ordem contra a ministra da Educação e contra o modelo de avaliação de desempenho definido pelo Governo, que querem ver suspenso.

Lídia Bilhote, docente na escola EB 2,3 da Maia, diz que os professores apenas estão a exercer um direito que lhes assiste: "fazer greve" para defenderem aquilo em que acreditam. A professora acrescenta que a  classe "só quer o melhor para os alunos". "Assim como queremos o melhor para os nosso filhos e para os nossos netos".

A Plataforma Sindical de Professores prevê que a adesão à greve nacional convocada seja superior a 90 por cento, o que, a verificar-se, fará desta paralisação a maior ou uma das maiores dos últimos 20 anos.

Mas nem tudo é negativo e os professores da Maia até agradecem à ministra o facto de os terem unido.

Isabel Fernandes Moreira

Ouça as palavras de ordem dos professores

[audio:PROFSCANTORES.mp3]

Ouça as declarações de Lídia Bilhote

[audio:LIDIABILHOTE.mp3]