Professores divididos na Secundária do Castelo

0
300

A avaliação do desempenho de professores gerou uma onda de contestação a nível nacional. E parece estar também a criar problemas no seio da Escola Secundária do Castelo da Maia. A criar problemas e divisões entre o corpo docente, numa altura em que o conselho executivo está prestes a ser substituído pelo cargo de director, seguindo uma nova orientação do Ministério da Educação.

A agudizar esses problemas parece estar, também, o novo modelo de designação de quem dirige a escola. Falamos do Conselho Geral Transitório. No caso da Secundária do Castelo, é composto por cinco encarregados de educação, sete representantes dos professores, dois representantes do pessoal não docente, um aluno, três elementos da Câmara Municipal da Maia e três representantes da comunidade local (o director do CICCOPN, o director do ISMAI e o director do centro de saúde).

São estes que vão escolher entre Paula Romão, actual presidente do conselho executivo, e Conceição Moutinho, para o cargo de directora da escola.

Há dez anos presidente do concelho executivo da Escola Secundária do Castelo da Maia, Paula Romão achou que deveria continuar a trabalhar pela educação e pelos alunos, em particular. Até para impedir que interesses pessoais marquem os destinos da escola.

[audio:PAULA_ELEICAO.mp3]

Assim respondeu Paula Romão aos professores da Secundária do Castelo que a acusam de actuação “facilitista” e muito orientada para o Ministério da Educação.

Esta é uma visão partilhada pela outra candidata. Conceição Moutinho, professora de Matemática, admite algum desconforto entre os docentes. Para o combater, propõe-se trabalhar “pelas pessoas” e valorizar o seu trabalho.

[audio:CONCEICAO.mp3]

Paula Romão ou Conceição Moutinho. Uma destas docentes será a próxima directora da Escola Secundária do Castelo da Maia. A decisão do Conselho Geral Transitório tem de ficar tomada até 31 de Maio, de acordo com o Decreto-Lei nº 75 /2008.

Marta Costa