Projeto CREW da LIPOR entrega computadores na Maia

0
261
foto LIPOR
- Publicidade -

Depois de apelar à população para doar equipamento informático, o Projeto CREW da LIPOR iniciou esta segunda-feira, dia 1 de março, a distribuição de equipamentos informáticos na Maia.

Da parte da manhã foram doados quatro computadores à Conferência Vicentina de Águas Santas, através da Associação Semente.

E à tarde a entrega de dois computadores portáteis à Escola EB 2/3 do Castelo da Maia, para doação a alunos carenciados, foi efetuada na sede do agrupamento, na Escola Secundária do Castelo da Maia, numa parceria da LIPOR e ERP Portugal.

Dois computadores portáteis foram entregues a Marco Marques, diretor do Agrupamento de Escolas do Castelo da Maia, na presença de Marta Peneda, vereadora da Câmara Municipal da Maia e Administradora da LIPOR.

Face às dificuldades financeiras que muitas famílias atravessam, a comunidade tem vindo a responder positivamente ao apelo do CREW, que continua a dar força aos valores da LIPOR.

Assim, a LIPOR continua a apelar: se tiver em sua casa ou na sua empresa algum destes equipamentos – computadores fixos/portáteis, monitores, teclados, ratos, câmaras web, cabos e colunas – que já não utilize ou que considere ter potencial para ser reparado, basta entregá-lo à Rede CREW, ou entrar em contacto através do email crew@lipor.pt .
Se os equipamentos tiverem arranjo, uma equipa especializada vai recuperá-los para depois serem doados.
Foi o que aconteceu com estes equipamentos oferecidos agora a alunos mais carenciados no concelho da Maia.

Marta Peneda reforçou que nem todos os alunos têm as mesmas condições e “o que estamos aqui a fazer é fruto de um projeto desenvolvido pela LIPOR – o CREW”, para além do apoio que o município de forma “exemplar” tem feito junto das escolas.
De acordo com Marta Peneda já foram colmatadas as falhas no 1º ciclo do ensino básico e o município criou um banco de empréstimo de computadores, além dos 300 que o município já entregou nas escolas do 2º e 3º ciclos.

Além da faceta solidária deste projeto que ajuda os alunos no ensino à distância, Marta Peneda destaca o papel deste projeto CREW na prossecução da política e filosofia da LIPOR, ou seja, “permite reduzir o consumo, reutilizar os equipamentos e, esperemos que quando já estiverem obsoletos, venham a ser reciclados. Este é um projeto que incorpora verdadeiramente a filosofia da LIPOR no que diz respeito à Economia Circular”.

Marco Marques, diretor do Agrupamento de escolas do Castelo da Maia referiu que “todos os dias chegam novos pedidos de famílias que precisam de computador para os seus filhos, pelo que estes dois computadores não vão ficar na escola por muito tempo e deverão ser entregues nos próximos dias”.

Este responsável refere que são necessários no Agrupamento do Castelo da Maia “cerca de 150 equipamentos para alunos que não têm qualquer meio para terem aulas, além de outras necessidades para alguns alunos que só podem acompanhar as aulas através de telemóvel, isto é, não estão a trabalhar regularmente, apenas acompanham as aulas à distância. No total, já perfaz cerca de duas centenas”.

Marco Marques refere que a Associação de Pais tem ajudado e o município também tem cedido tabletes aos alunos, pelo que o esforço da comunidade tem sido muito e os frutos vão sendo também colhidos.

Todos os equipamentos cedidos aos alunos mais carenciados que deles precisem são entregues a título de empréstimo ao encarregado de educação, mediante contacto com o diretor de turma de cada aluno.

Associação de Pais da EB 2,3 do Castelo da Maia

Domingos Costa, presidente da Associação de Pais da EB 2,3 do Castelo da Maia, esteve também nesta cerimónia de entrega de computadores, que se destinam a alunos deste estabelecimento de ensino.
Quando se começou com o ensino à distância, a associação de pais fez um levantamento das necessidades e detetou 27 alunos que precisavam de computador e isso “deu-nos a ideia de tentar angariar equipamentos e levou a um trabalho nesse sentido”, contou à nossa reportagem.
Domingos Costa recorda que a associação foi contactando diversas empresas solicitando equipamentos informáticos mesmo que precisassem de reparação, tendo a associação “conseguido até ao momento cerca de uma dúzia de computadores já entregues à escola”.

CREW dá “segunda oportunidade” aos equipamentos

Hélder Marques e Filipe Bernardino, do Projeto CREW, participaram desta doação. Consideram muito gratificante poder estar envolvidos até ao fim no processo.

Hélder Marques, é gestor do projeto, e contou-nos que o CREW já existe há algum tempo na LIPOR mas estava mais orientado para a recolha e reparação de outros equipamentos mais relacionados com o lar, como micro-ondas, fogões e varinhas mágicas, por exemplo. No entanto, tendo em conta o contexto atual, “considerou-se que seria mais importante orientar o esforço da equipa para equipamentos informáticos no sentido de minimizar um pouco as dificuldades da comunidade em específico aquelas famílias com miúdos em tele-escola”.

Na primeira fase, “durante o primeiro confinamento, conseguimos reparar cerca de 50 computadores. Nesta segunda fase, entregamos estes seis, dois à escola e quatro aos vicentinos, sendo que vamos continuar a trabalhar para reparar mais computadores para doar nos próximos dias”.

No fundo, trata-se ainda de “dar uma segunda oportunidade aos equipamentos”, sublinha Hélder Marques.

Filipe Bernardino, assume que vê o projeto como técnico e como pai, envolvendo-se de forma mais compreensiva neste projeto. Para este elemento do CREW, além de ser dada uma nova oportunidade a um computador, é desenvolvida “uma ação solidária” junto da comunidade.

Os equipamentos doados são de vária ordem e em estados também diversos. Filipe refere que por vezes recebem computadores em que “basta uma limpeza, outros precisam que se lhes substitua o software, outros há ainda que precisam de mudar uma ou duas peças” para ficarem disponíveis para o trabalho de um aluno.

Uma das “orientações deste projeto é tentar sempre que possível fazer as reparações de material a custo zero”, esclarece Filipe Bernardino.
A grande recompensa, de acordo com estes técnicos, é “ver o sorriso nos miúdos, que de outra forma, dificilmente conseguiriam aceder a este tipo de equipamentos”.

O projeto da LIPOR trata apenas de recolher e reparar equipamentos, sendo que a parte de distribuir por quem precisa apurando essas necessidades no terreno está entregue a entidades parceiras. Neste caso do CREW são parceiros a Matosinhos Habit, A Semente – Associação de Voluntários da LIPOR (que tratou desta doação de computadores na Maia), Meu Lugar no Mundo, associação que trabalha na zona centro do Porto.

Mais sobre o projeto em: www.lipor.pt/pt/sensibilizar/100-desperdicio/crew/

Áudios da Reportagem:

- Publicidade -