Ribeira dos Mogos vai ser despoluída

0
251

Ainda que apenas para usufruto durante o dia, já que não dispõe de iluminação à noite, está pronto o Parque Urbano dos Maninhos. Pelo menos, o correspondente à primeira fase. Foi inaugurado sábado de manhã, dia de reflexão para as eleições legislativas, “fruto da política ambiental de criação de espaços verdes e de lazer” da Câmara Municipal da Maia. É o que se pode ler na placa descerrada na entrada pela Rua António Francisco Coelho, onde decorreu a cerimónia formal de inauguração.

Fora do protocolo habitual destas iniciativas, o púlpito foi tomado por um morador da zona, depois dos discursos habituais dos autarcas. Sem dizer o nome, deu a cara para enaltecer o “profissionalismo” de quem executou a obra, em particular pelas “preocupações em não nos perturbar”. Sobre a criação do espaço verde, e em nome de alguns moradores, disse ser “o momento de agradecer, embora com algum atraso, a oportunidade que a Câmara da Maia nos concede de nos divertirmos, de ocuparmos os nossos filhos”. Mas fazendo questão de afirmar não ser filiado “em partido nenhum”.

A “jogar em casa”, o presidente da Junta de Freguesia de Vermoim recordou o facto deste Parque Urbano dos Maninhos ter sido criado numa área “que estava devoluta e descuidada”. Agora, é “um espaço que valoriza enormemente esta zona”, considerou Aloísio Nogueira. Sobretudo, explicou o autarca, por aproveitar a passagem da Ribeira dos Mogos e “a galeria ripícola que aqui tem um diversidade que é de assinalar”. E porque permite agora estar atento à ribeira, que espera ver despoluída dentro de pouco tempo:

[audio:Maninhos_Aloisio.mp3]

Para pôr fim às “descargas pontuais que vão sendo feitas”, o  autarca de Vermoim apelou “à consciência cívica de cada um” e à necessidade de uma “vigilância activa” e consequente denúncia de situações irregulares às autoridades competentes.

Apelo fez também o vice-presidente da Câmara da Maia, António da Silva Tiago, na qualidade de vereador do pelouro do Ambiente, para que as pessoas “saibam cuidar deste espaço, que não o destruam, que não o estraguem, que o preservem”.

Sem esquecer a melhoria da qualidade de vida da população da zona, ou as características deste Parque Urbano dos Maninhos, o presidente da Câmara da Maia pôs a tónica nos números. Primeiro, ao afirmar que este é o oitavo parque do género inaugurado pela autarquia, prevendo inaugurar ainda até ao final do mandato o Parque da Ribeira dos Amores, em Pedrouços, com cerca de 20 mil metros quadrados.

Dos números referidos por Bragança Fernandes, destaca-se ainda os sete mil metros quadrados de área e os quase 200 mil euros de investimento para criar caminhos pedonais, áreas lúdicas e áreas recreativas. Quanto à iluminação do espaço, problema para o qual Aloísio Nogueira alertou a autarquia, o presidente da câmara respondeu que “isso já foi acautelado e vai ser feito oportunamente”.

Marta Costa

(Notícia a desenvolver na edição de sexta-feira de Primeira Mão)