SOS Covid integra empresas maiatas e vai doar mil viseiras à Câmara da Maia

0
585

O movimento solidário SOS Covid dedica-se a fabricar e doar viseiras e, hoje, vai oferecer cerca de 1000 à Câmara da Maia. Do movimento fazem parte duas empresas do concelho maiato, que assim colaboram na luta contra o contágio pela Covid19.

O movimento SOS Covid (soscovid.pt) surgiu para juntar profissionais e ajudar as entidades de saúde e segurança pública a lutar contra o contágio do novo coronavírus. O movimento dedica-se a fabricar viseiras e, desde a sua formação em março, já entregou 38552 viseiras a entidades de saúde, segurança pública, bem-estar e lares.

Hoje, o movimento vai entregar à Câmara Municipal da Maia mais de mil viseiras e outras tantas ao IPO Porto.

SOS Covid é um movimento de empreendedores sociais solidários das mais diversas áreas profissionais e do saber, que se juntaram com um objetivo comum: fazer o que estivesse ao seu alcance para auxiliar todos os profissionais que estão na linha da frente do combate ao Corona Vírus em Portugal.

Deste conjunto de empreendedores fazem parte duas empresas do concelho da Maia, designadamente a Nimaia e a Maia Borges.

Tudo começou com um grupo de pessoas e empresas que se prontificou a usar as suas impressoras 3D para construir viseiras de proteção facial e doá-las a profissionais de saúde. A estes juntaram-se outros voluntários, parceiros e fornecedores de componentes, que contribuíram para um aumento exponencial da produção.

Em poucas semanas, o movimento passou a conseguir produzir 1000 viseiras por dia, apenas com impressão 3D. Graças a uma massiva campanha de doações conseguiu-se a compra de um molde de injeção de plástico, ao qual se juntaram mais dois oferecidos, veio trazer a capacidade de produção de nível industrial, chegando agora a uma média de produção de 10 mil viseiras por dia.