Taximaia sente-se enganada pela PT

1
198


Da promessa de “o comando é MEO” para a realidade de “os problemas são MEOS”. Foi o que conseguiu a Taximaia – Central Rádio Táxi da Maia, quando aderiu à prometida revolução tecnológica de um novo serviço da Portugal Telecom (PT): o MEO-Fibra. Esses problemas arrastam-se há mais de um mês e nada de soluções.

Tudo começou quando o director da Taximaia acedeu a receber na empresa representantes da operadora, “depois de ter sido insistentemente ‘assediado’ pelos comerciais da PT e também por um elevado número de agentes credenciados”, lê-se num e-mail enviado a PRIMEIRA MÃO.
Já sendo cliente da PT, pretendia apenas saber como evoluir para o novo serviço, por considerar a administração que a proposta, em termos de custos, “era vantajosa relativamente aos valores que estávamos a pagar da linha convencional”. Curiosamente, a visita que recebeu na central, dois dias depois, a 5 de Abril, foi já de dois técnicos da PT, prontos para fazerem a instalação do serviço, mesmo não tendo sido formalizado qualquer contrato. Ainda que alertando para o facto de nada estar acertado nesse sentido, o director da Taximaia, Victor Monteiro, deu instruções para avançarem para a instalação, não se encontrando nessa altura nas instalações.

E “os nossos problemas começam no momento imediato em que os técnicos terminam a instalação do serviço”, já que os equipamentos de fax deixaram de funcionar. Para tentar solucionar o problema, multiplicaram-se as tentativas de contacto para a PT. Depois de várias respostas de quem nada sabia do caso, Victor Monteiro recorda o 15º telefonema para a operadora, em que lhe foi transmitido que “os aparelhos de fax não são compatíveis com o serviço”. Apesar da empresa que propôs o equipamento garantir que era compatível com todos os serviços. Três dias depois, e depois de mais cinco telefonemas para a PT, ainda estavam “a estudar o assunto”.

Descontente com o problema criado e a ausência de soluções, o director da Taximaia solicitou a desinstalação do MEO-Fibra e que fosse resposta a linha telefónica que estava a funcionar anteriormente. Mais 30 dias de espera teria a central pela frente, disseram-lhe da PT. A alternativa de alterar para uma linha ADSL não seria também imediata, com um prazo previsto de 15 dias. E nem com tempo de espera a empresa poderia, por exemplo, encaminhar a linha de fax para uma residência ou recorrer ao fax online. Mais dois exemplos de serviços incompatíveis com o MEO-Fibra, que Victor Monteiro admite “que só funciona em anúncios publicitários”. Por isso, reitera o pedido de desinstalação, mas ainda sem resposta.

Despesas adicionais

Enquanto a solução não chega, o fax foi ligado em casa de uma funcionária, que tem de sair da central várias vezes para confirmar se recebeu algum documento. E com as implicações que isto pode ter para o serviço efectuado pela Taximaia, dado que é a única central rádio táxi do concelho, a que estão ligados todos os táxis, excepto alguns que estão na postura do aeroporto. Mais grave é que “temos contratos e protocolos com várias companhias aéreas e empresas que prestam serviço no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, e que desta forma se vêem impossibilitados de requisitar os nossos serviços”, lamenta Victor Monteiro.

O director da Taximaia sente-se “enganado pela PT”, lamentando que a adesão a este novo serviço se traduziu “numa grande ‘carga de trabalhos’, problemas e despesas adicionais”. E apesar de não ter assinado qualquer contrato relacionado com o serviço MEO-Fibra, o certo é que depois de tantos telefonemas efectuados já receberam uma factura para liquidar. “Eu pago para pedir que me resolvam um problema que foi criado por eles”, lamenta. Por isso, Victor Monteiro já enviou uma reclamação à PT, inclusive para o apoio às empresas, e também sem resposta. Porque “não ia pagar por um serviço que não quero, que nunca quis e que não está a funcionar”, adverte.
PRIMEIRA MÃO tentou obter uma reacção junto da PT, mas sem sucesso até ao fecho desta edição, tendo apenas recebido a indicação de que o nosso pedido de esclarecimentos foi enviado para o departamento respectivo.

Marta Costa

1 COMENTÁRIO

  1. Eis um problema que conheço como as palmas da minha mão, pois fui igualmente engando quando me instalaram o serviço MEO em minha casa.
    Partilhando a minha experiência posso vos dizer que o serviço tirando o dia de instalação nunca mais funcionou devidamente. Vejamos serviço a serviço:
    1. Televisão: já vou na quarta box e todas elas, inclusivé a que tenho agora sofrem todas dos mesmos problemas. Ora é a box que cracha, ora é a box que não me grava, ora é a box que me desgrava as gravações realizadas, ora é a box que me altera a grelha de programação. Tudo só maravilhas;
    2. Internet: tem 2 velocidades, parada e paradinha. Isto quando não tenho a sorte de ficar dias a fio sem internet.
    3. Telefone fixo. funciona bem apenas e só quando os outros dois serviços, net e tv, não estão a funcionar ao mesmo tempo.
    4. Apoio técnico: uma cambada de inúteis. Já passei horas e horas, a pagar do meu bolso, em tentativas sucessivas e falhadas de resolução dos meus mais que variados problemas. Para além de pagar para me resolverem o problema, ele nunca fica resolvido;
    5. Facturação: eis que pensava que os meus problemas eram apenas técnicos surge outro, a facturação errada. É frequente receber facturas para pagar pacotes de canais que não subscrevi, com chamadas internacionais que não realizei. Uma maravilha, portanto….
    Portanto, percebo táo bem o vosso, seu problema.
    Sei hoje que fui engando por uma publicidade apenas e tão só “fedorenta” que vende e promete aquilo que nao tem, não vende e que vende sem capacidade de resposta para os problemas dos seus clientes.
    Hoje, mais do que nunca, quero mudar de operador. Por isso se podia viver com a ZON podia, mas o MEO náo me deixa pois estou agarrado a um contrato de fidelização….

Comments are closed.