Terceiro assalto ao Café Natural

0
173

Continuam os assaltos em Vila Nova da Telha. O alvo mais recente foi o Café Natural, situado na Rua do Castanhal, junto ao Parque de Quires. Depois de um sábado de trabalho mais longo do que o habitual, o regresso no domingo trouxe uma desagradável surpresa.

A funcionária deparou-se com o vidro das traseiras partido. Foi por aqui que o(s) assaltante(s) entraram no estabelecimento, tendo levado apenas o equipamento da televisão por cabo. Acredita o proprietário, António Pacheco, que “vêm já com tudo estudado”.

Por cima deste estabelecimento situam-se apenas habitações, sendo provável que algum dos residentes se tenha apercebido do ruído causado pelos vidros partidos. Mesmo que isso tenha acontecido, o proprietário sabe que “as pessoas não se manifestam”. Nem sequer o fizeram ao passarem pelo café nos dias seguintes ao assalto.

Este é já o terceiro assalto ao café, no espaço de cerca de um ano e meio. Nos dois primeiros, já tinham furtado um ecrã LCD e os computadores. Mas das três vezes soma-se o prejuízo dos estragos causados, nomeadamente os vidros partidos. O prejuízo global deve rondar os 15 mil euros, estima o proprietário, lamentando ainda o facto dos seguros “nunca cobrirem a cem por cento”.

Mais do que isso, e porque está apenas há dois anos como proprietário deste Café Natural, António Pacheco sublinha que, moralmente, prosseguir com a actividade não é fácil. “É preciso ter alguma coragem para nos abstrairmos destes danos e continuar a lutar”, confessa:

[audio:CAFE_ASSALTO.mp3]

Até porque, segundos os seus clientes, “tem havido bastantes assaltos e, de forma isolada, até a residências” na freguesia. Face a este cenário, já houve quem sugerisse um contacto com a Junta de Freguesia de Vila Nova da Telha, no sentido de juntarem os comerciantes da zona para contratarem guardas nocturnos “e fazerem eles vigilância” num local que, lamenta António Pacheco, também “tem pouca iluminação”: o Parque de Quires.

Marta Costa