Terceiro período escolar em casa

0
442
Manuais escolares

Esta semana marca o regresso às aulas de milhares de alunos do 1º ao 12º ano. Entramos no 3º período letivo deste ano 2019/2020.

Na sua maioria os alunos têm aulas à distância. Os agrupamentos escolares da Maia lançam mão de algumas ferramentas como material informativo físico e digital.

Os alunos do ensino básico e secundário entraram esta terça-feira no novo período escolar, mas com aulas a decorrerem à distância. O governo apoia este momento escolar com as emissões televisivas da Telescola pela RTP2 e pela RTP Memória.

Um dia após ter arrancado o terceiro período escolar, ao lado do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, o primeiro ministro António Costa visitou o estúdio da RTP e participou na apresentação, esta manhã, do #EstudoEmCasa, o instrumento que a partir da próxima segunda-feira irá disponibilizar aulas para os alunos do ensino básico, através da televisão pelo canal RTP Memória. 

Sobre a reabertura das escolas, António Costa revelou ainda que “relativamente aos alunos do secundário” a ambição é retomar “assim que possível as aulas presenciais”, mas nunca antes de 4 de maio. 

“[As aulas presenciais] Serão sempre retomadas de uma forma parcial. Serão sempre só as 22 cadeiras que são sujeitas a exame, pois queremos que esteja o menor número de pessoas num espaço de tempo menor possível nas escolas para evitar riscos de contágio”, esclareceu alertando que, ainda assim, não é ainda possível determinar uma data. 

«não deixamos ninguém para trás»

Os sete agrupamentos escolares da Maia experienciam assim um início de um período letivo nunca antes vivido, trabalhando as escolas para uma adaptação e cumprindo um lema que a Câmara da Maia tem veiculado desde o início do mandato, «não deixamos ninguém para trás».

A vereadora da Educação, Emília Santos, já havia divulgado há uma semana que a autarquia iria disponibilizar tablets aos alunos que precisassem por não terem meios informáticos para acederem ao ensino à distância.

No dia 7, a Câmara da Maia avançou com um banco de empréstimo de tablets e acesso à internet destinados aos alunos do 1º ciclo, para que possam continuar a aprender a partir de casa.

Este Projeto Maia | School4All está a ser operacionalizado em colaboração com os Agrupamentos de Escolas do concelho e FAPEMAIA. O Município da Maia também se responsabiliza por atribuir um router com acesso à internet para 3 meses, justamente para os alunos que necessitem.

Também as atividades de enriquecimento curricular e as oficinas lúdicas vão continuar a ser desenvolvidas, garante a vereadora Emília Santos. Existe uma plataforma em que essas atividades estão a ser orientadas online, através do portal da Educação no site da Câmara da Maia.

Agrupamentos adaptam-se e colaboram com alunos e pais

Os sete agrupamentos de escolas da Maia estão a proceder a um ajustamento dos seus sistemas de ensino, adaptando-se a uma aprendizagem à distância, promovendo as salas de aula virtuais. O essencial é que todos os alunos tenham acesso à informação e às aulas, pelo que também neste aspeto entram em campo colaborando com os pais e tentando que ninguém fique excluído.

No Agrupamento de Escolas Dr. José Vieira de Carvalho as reuniões entre alunos e professores já começaram em videoconferência, recebendo assim os planos semanais de estudo. Nestas escolas, os alunos possuem um e-mail institucional e têm videoconferências através da plataforma Microsoft Teen.

As associações de pais estão a colaborar com o agrupamento com o objetivo de verificar quem não tem computador e internet, procurando soluções em conjunto para colmatar estas eventuais falhas.

Quando não seja possível atribuir meios há sempre a alternativa, de acordo com o diretor do Agrupamento, de fornecer dossiês que devem ser recolhidos pelas respetivas famílias.

Uma estratégia similar é implementada, por exemplo, pelo Agrupamento de Escolas Gonçalo Mendes da Maia.
Ambos os agrupamentos sinalizam os alunos que não possuem meios informáticos e estabelecem horários para que os dossiês sejam levantados pelas famílias, sem aglomerações nas escolas.

As aulas emitidas pela televisão serão um dos instrumentos de ensino a funcionar em conjunto com as orientações dos professores de cada turma. É o entendimento dos diretores de agrupamentos da Maia.