Trabalhador morre nas festas da Maia

0
143

A comissão de festas em honra de Nossa Senhora do Bom Despacho mandou celebrar, na próxima terça-feira, às 19h00, na Igreja Nossa Senhora da Maia, uma missa de 7º dia pela morte de um homem de 36 anos, quando trabalhava para a preparação das festividades. É uma forma de prestar homenagem e de mostrar a “consternação geral” pelo ocorrido.

A decisão foi hoje comunicada a PRIMEIRA MÃO por um elemento da organização. Um dos vários que ontem marcaram presença no funeral, em Moreira. Para além da tenra idade – 36 anos – a vítima residente no lugar de Real deixa um filho recém-nascido.

Tudo aconteceu na segunda-feira à noite, pouco antes das 23h00, na Estrada Nacional (EN) 14, no sentido Porto – Maia, imediatamente antes do viaduto sob a Avenida Visconde Barreiros. A mesma fonte da comissão de festas conta que o trabalhador teria encostado um escadote a um poste de electricidade para fazer a instalação do sistema de som das festividades. Não o fazia ao serviço da comissão de festas, mas de uma empresa com quem esta estabeleceu uma espécie de permuta, relacionada com a exploração da publicidade.

Mas aquele que é um trabalho comum por esta altura foi fatal para o trabalhador. O poste “cedeu, porque estava deteriorado na base, oxidado, danificado”, lamenta a mesma fonte, acabando por cair para a EN 14, tal como a vítima.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) recebeu o alerta às 23h01, mobilizando a Viatura Média de Emergência e Reanimação (VER) e uma ambulância. Fonte do INEM referiu ainda a PRIMEIRA MÃO que, quando os meios chegaram ao local, o indivíduo “já estava cadáver”. Antes disso, já uma médica que circulava de carro na EN 14 tinha parado e tentado manobras de reanimação. Mas sem sucesso.

Tendo em conta que o acidente terá sido provocado pelo estado de degradação do poste, PRIMEIRA MÃO contactou a EDP, mas até ao momento não houve qualquer tomada de posição da empresa.

Marta Costa