Tribunal da Maia alvo de ameaça de bomba

0
160

Não passou de uma ameaça, é certo, mas não deixou de ser uma manhã diferente no Tribunal Judicial da Maia. Na segunda-feira de manhã, poucos minutos antes das 10h00, um telefonema dava conta da presença de uma bomba no edifício. A chamada em causa estava identificada, vindo a confirmar-se que tinha sido feita desde uma cabine telefónica do concelho de Matosinhos.

Contactado por PRIMEIRA MÃO, o secretário do Tribunal Judicial da Maia, Eliseu Marques, referiu apenas que “tudo não passou de uma brincadeira, como se costuma dizer”. E acrescentou que o caso foi já participado ao Ministério Público.

Os serviços do tribunal alertaram de imediato a esquadra da Maia da PSP, que enviou para o local os dois agentes que seguiam no carro patrulha, outro que fazia o serviço a pé e ainda o supervisor operacional de serviço. Foi ainda mobilizada a Divisão de Investigação Criminal, permitindo fazer uma primeira vistoria ao espaço, concluindo que, “em princípio, não haveria nada”.

Ainda assim, por precaução, a juiz-presidente do tribunal decidiu evacuar o edifício. Diz o secretário que por altura da chegada das equipas da Brigada de Inactivação de Engenhos Explosivos, “para poderem trabalhar mais à vontade”. Feita a vistoria “mais pormenorizada” ao espaço, refere fonte da PSP, esta equipa confirmou que “não havia nada de especial”. E antes do meio-dia já o Tribunal Judicial da Maia estava a funcionar normalmente.

Até lá, para além da evacuação do edifício, foi criado um perímetro de segurança à frente do tribunal, impedindo que as pessoas passassem a menos de cerca de quatro metros do edifício.

Pelo menos nos últimos cinco anos, não há registo de qualquer outra ameaça do género a ter como alvo o Tribunal Judicial da Maia.

MC