Um festival de sabores para quem visita a Maia

0
173

Maio é o mês do 13º Festival Gastronómico da Maia. O festival arrancou no passado dia 1 de Maio, em paralelo ao Festival de Música da Maia, que decorre também até ao final do mês. A música e a gastronomia estão, desta forma, de mãos dadas.
Pela música, e sobretudo pela boca, o município tenta conquistar cada vez mais visitantes, sobretudo do Grande Porto e Galiza. À mesa de 28 restaurantes do concelho estão alguns dos mais típicos pratos do concelho e da região Norte. É uma iniciativa da Câmara Municipal da Maia que tem como objectivo “divulgar este importante capital cultural, que é o nosso receituário tradicional, para além de promovermos os nossos estabelecimentos de restauração”, sublinha o director da Divisão de Turismo do município, Rui Rodrigues.
E fazendo um balanço das primeiras duas semanas, está a decorrer “bastante bem”. “É satisfatório saber que, apesar de todos os constrangimentos que vivemos a nível nacional, as pessoas estão a aderir ao festival, estão a solicitar o menu do festival, o que nos deixa bastante satisfeitos, e está a participar nas actividades paralelas”, acrescenta.

São muitos os sabores da terra que podemos encontrar nos restaurantes aderentes. Não faltam os rojões com castanhas, arroz de pica no chão, bacalhau à lidador ou com todos, as sardinhas de escabeche, entre muitas outras tentadoras propostas. Como por exemplo, o cabrito assado à maiata, servido em pequenos ramos de loureiro e com arroz de forno a acompanhar. Este é um dos pratos mais requisitados.
Quem passar pela Maia, por estes dias, deve ainda deixar algum espaço no estômago para a sobremesa. Recomenda-se as rabanadas à moda da Maia, o leite-creme caseiro, a aletria, as tigeladas ou os lidadores, doce oficial do concelho.
São cada vez mais os apreciadores da boa gastronomia que se deslocam propositadamente à Maia, durante o festival e não só.
No ano passado foram servidas 100 mil refeições, só no festival. Um número que a organização espera ultrapassar este ano. “As coisas estão a correr pelo melhor, e se se mantiverem assim, vamos superar. Queremos cada vez mais que as pessoas tomem conhecimento da iniciativa e pensem na Maia quando quiserem fazer as suas refeições”, refere Rui Rodrigues.

Nem só do acto de comer se faz este festival gastronómico. A Divisão de Turismo da Câmara da Maia preparou ainda um programa paralelo, que inclui uma série de workshops de cozinha para miúdos e graúdos e que têm como palco o centro comercial Vivaci Maia, o habitual Duelo de Chefs Carte D’or , na Casa da Agra no dia 27 de Maio, e ainda o Workshop 100% Chef com Álvaro Costa no dia 29, no Vivaci.

Os workshops culinários decorrem à terça-feira, para os adultos, a partir das 20h30, para todos aqueles que queiram aprender um pouco mais desta arte e que se sintam atraídos pela gastronomia e pela culinária. Podem inscrever-se pelo site turismo.maiadigital.pt
E aos domingos, os mais pequenos têm também a oportunidade de colocar o avental e aprender a fazer coisas simples, a partir das 16h00.
O duelo de chefs é um dos pontos altos do certame. A disputar o pódio estarão os chefes António Ferreira (Maia Vip), Graça Negrais (Tomar de Sal), Manuel Vieira (Gostos de Terra & Mar), Raquel Duarte (Quinta das Raparigas), Paula Cristina (Mister Churrasco) e Nuno Oliveira (O Industrial). Os chefs são desafiados a criar uma sobremesa tradicional da Maia a partir de um cabaz de ingredientes que só vão conhecer no momento da confecção, sendo que um dos ingredientes será a marca de gelados.

Oferta turística

O facto de não existir uma oferta turística específica para o festival gastronómico, não impede os visitantes de partirem à descoberta da Maia. No site oficial do Maia Welcome Center (http://turismo.maiadigital.pt/), estão disponíveis alguns dos programas culturais e turísticos que o posto de turismo organiza durante quase todo o ano. Maia Histórica, Maia Rural, Maia Contemporânea, Maia por Terras do Lidador, 3 Dias entre Amigos, 3 Dias em Família, são alguns dos circuitos turísticos disponíveis.

O Maia Histórica é, sem dúvida, o mais solicitado. Inclui a passagem pelos principais monumentos religiosos do concelho e pequenos núcleos rurais que ainda permanecem intactos. Para além dos percursos pedestres urbanos, o Jardim Zoológico da Maia e o Parque Urbano de S. Pedro de Avioso. Os apreciadores do Vinho Verde podem ainda aproveitar para visitar a Quinta de Santa Cruz, próxima ao Zoo da Maia. A quinta faz parte da Rota dos Vinhos Verdes, que tem como objectivo estimular o desenvolvimento do potencial turístico da Região Demarcada dos Vinhos Verdes. As visitas têm uma duração média de 15 minutos, incluindo provas de vinhos acompanhadas de pequenos petiscos. No posto de turismo Maia Welcome Center, os visitantes podem ainda ficar a conhecer e levar de recordação alguns dos trabalhos de artesãos locais.

Fernanda Alves