“Um Natal Sem Igual” chega mais uma vez a São Tomé e Príncipe

0
153

 

“Pai Natal estás muito magrinho!”, gritou um dos meninos da escola EB1 de Cristal, em Ardegães, Águas Santas, ao ver o Pai Natal. A afirmação inesperada fez esquecer, por alguns momentos, o frio que se fazia sentir na manhã desta quarta-feira. Os cerca de 80 alunos daquela escola tinham acabado de receber a visita da equipa de animadores do programa “Um Natal Sem Igual” do pelouro da Juventude da Câmara Municipal da Maia.

A iniciativa decorreu entre segunda e quinta-feira, em todas as escolas do 1º ciclo e jardins-de-infância. Liderados pelo Pai Natal, levavam bolsas para as crianças que, em troca, entregaram os bens que reuniram na escola, ao longo dos últimos dias e que se destinam às crianças das escolas de São Tomé e Príncipe. Este ano, foi-lhes pedido que colaborassem com brinquedos, livros e material didáctico. Mais uma vez, o desafio da autarquia teve, por parte da comunidade escolar, uma resposta positiva, de acordo com o coordenador do programa de animação, Carlos Frazão. “As escolas acolhem muito bem o programa e as famílias aderem bem às causas sociais que propomos. Está a correr muito bem”, sublinhou.

São Tomé e Príncipe é um dos países com que a Maia mantêm relações de cooperação. A selecção dos bens a reunir teve em conta as carências existentes. “São Tomé é um país fértil. O que de facto lhes faz muita falta são coisas que para nós são impensáveis. Um caderno e um lápis têm um valor extraordinário. Uma bola de futebol, uma boneca, coisas tão simples que as nossas crianças têm de sobra, a eles vai fazer muito jeito”, sublinhou Carlos Frazão. A iniciativa tem como parceiros a empresa Tintas Kar, que vai assegurar o transporte marítimo, e a são-tomense Fundação Aurélio Martins que ficará encarregue da distribuição dos bens recolhidos, pelas escolas.

Há dois anos, o programa “Um Natal Sem Igual” contemplou as escolas de Água Grande, município de São Tomé e Príncipe que está geminado com a Maia.

Na edição do ano passado foram recolhidos três mil quilos de alimentos e muitos brinquedos, que foram doados a quatros instituições de solidariedade social do concelho da Maia.

FA