“Um Natal sem igual” quer despertar espírito solidário nos mais novos

0
202

Terminou ontem o programa de animação natalícia “Um Natal sem Igual”. A iniciativa foi promovida pelo pelouro da Juventude da Câmara Municipal da Maia e entre segunda-feira e esta quinta percorreu todas as escolas EB1 e Jardins de Infância do concelho, levando alguma animação aos alunos.

O Pai Natal foi às escolas, devidamente acompanhado por uma equipa de animação, um palhaço e um joker, que, em ambiente festivo e natalício, entregam às crianças uma lembrança oferecida pela câmara municipal. Mas como a ideia é também dar, o pelouro da juventude também recolhe os donativos que os mais novos trouxeram e que se destina a causas sociais. Para marcar o arranque da iniciativa, na segunda-feira, o presidente da autarquia, Bragança Fernandes, e o vereador da Juventude, Hernâni Ribeiro, entregaram algumas lembranças na escola EB1 Maia Sede.

De acordo com o vereador trata-se de uma iniciativa que “tem um grande valor principalmente pelos princípios que tenta incutir na juventude, neste caso, nas crianças”. Esse é um argumento mais do que suficiente para que, ano após ano, realizem o “Natal sem Igual”. “Sentimos que é uma iniciativa também do agrado das crianças e, portanto, como é óbvio, continuamos a realizá-la”, refere o autarca.

Hernâni Ribeiro considera que o interesse por parte dos meninos das escolas também tem vindo a aumentar, no entanto, não se pode fazer comparações de uns anos para os outros porque as campanhas têm sempre destinatários diferentes e o que pedem são sempre produtos diferentes. Há dois anos pediram bens não perecíveis para entregar ao Banco Alimentar Contra a Fome. No ano passado, pediram aos meninos das escolas que colaborassem com a doação de material didáctico e brinquedos para enviarem para Cabo Verde. Este ano, voltaram então a pedir produtos alimentares não perecíveis mas com o objectivo de os entregarem a instituições do concelho da Maia. Destina-se “sobretudo a todas aquelas casas de acolhimento e com isso dar uma ajuda, dentro do possível, ao dia-a-dia dessas instituições”, justifica. “Não podemos fazer uma comparação agora uma certeza temos, e pela conversa das professoras, é que esta é uma iniciativa bem acolhida por todos e que todos têm um grande interesse em participar”, acrescenta.

E como gostam de receber mas pretendem incutir nos mais novos o binómio “dar e receber” aos meninos levam alguma animação com um palhaço, um joker e, claro está, o Pai Natal, que entrega aos meninos uma prenda da Câmara Municipal. “Eu penso que é uma boa forma e uma forma ligeira de incutir este espírito de solidariedade e o dar e receber nas crianças”, acrescenta Hernâni Ribeiro.

A prenda deste ano foi uma mochila. Um presente adquirido, conta o presidente da Câmara da Maia, Bragança Fernandes, a pensar no famoso computador Magalhães que já deveria ter chegado a todas as escolas do município, mas que só chegou à EB 1 de Currais. “Nós cumprimos e o Governo não cumpre”. “Parece-me que os restantes Magalhães só chegam lá para Abril e nós estávamos convencidos, porque foi uma promessa, que todos os meninos iriam ter um Magalhães e ainda não estão a ter”.

Isabel Fernandes Moreira