Um recreio que é um tabuleiro de jogos gigante

0
1365
Recreio de jogos na EB1 Gueifães

A EB1 de Gueifães tem um novo espaço de recreio, repleto de jogos que permitem brincadeiras inovadoras e saudáveis envolvendo os alunos em pares ou grupos. A inauguração aconteceu esta terça-feira, dia 30 de junho, com a presença da vereadora da Educação Emília Santos, e o diretor do Agrupamento de Escolas da Maia, Rui Duarte, além de pais e convidados.

O projeto foi pensado e elaborado pelos deputados do Parlamento de alunos da EB1 de Gueifães, no âmbito do projeto NEMESIS deste agrupamento.

Deste Parlamento fazem parte deputados – alunos do 2º, 3º e 4º ano das turmas da EB1 de Gueifães, sendo que reúne todas as sextas-feiras, às 11h00, por videoconferência, devido às restrições da pandemia Covid19.

O recreio agora inaugurado resulta de um trabalho elaborado ao longo de dois meses, cuja iniciativa parte dos debates dos deputados do Parlamento, contando com apoio operacional dos pais e professores.

Os deputados começaram por fazer o levantamento de propostas de melhoria, junto das suas turmas, na resposta à pergunta “O que poderíamos fazer para tornarmos as pessoas mais felizes no espaço da nossa escola?”

Foi feita uma síntese dessas propostas, sujeita a discussão e votação. O recreio com jogos – “Pintar jogos no chão do recreio” – foi a proposta vencedora, ou seja, mais votada pelos deputados (15 votos).

Posteriormente, cada deputado apresentou as suas propostas de jogos, identificando as dimensões, o material necessário e as regras do jogo.

Tal como determina o projeto NEMESIS, que tem sido trabalhado no agrupamento, os alunos envolvidos convidaram uma educadora, dois professores e a associação de pais, bem como um elemento da Câmara e Junta de Freguesia para apresentar a proposta escolhida pelo Parlamento de Alunos e solicitar apoio na recolha de material necessário e alguma mão de obra.

O material foi conseguido e os colaboradores também, sendo muita da ajuda originária das famílias destes alunos.

A coordenadora do projeto, professora Aline Santos, disse perante o Parlamento dos Alunos que “não podia estar mais feliz com o vosso trabalho e com este projeto”. Enunciou que este trabalho permitiu que os alunos desenvolvessem “a criatividade, o espírito crítico, a colaboração, a capacidade de comunicarem uns com os outros, a responsabilidade e autonomia. Estou muito feliz por ter a certeza que vpcês serão ótimos agentes do amanhã”.

Rui Duarte, diretor do Agrupamento escolar, saudou todos os “alunos que levaram a cabo esta iniciativa” sublinhando que este recreio assinala de forma simbólica este “regresso tão ansiado e querido à vossa escola”, após o confinamento. Salientou que esta “foi uma ideia fantástica” por recriar jogos, “alguns antigos, que fazem parte da memória dos vossos pais. Acima de tudo uma novidade que torna esta escola mais agradável e mais bonita”.

“queremos que seja o lema das nossas escolas – trabalhar a felicidade”

A vereadora da Educação, Emília Santos, frisou que este é mais um projeto que concretiza o que “queremos que seja o lema das nossas escolas – trabalhar a felicidade”.
E acrescentou: “todas as nossas escolas têm, de facto, esse espacinho onde cada um vai procurar a sua oportunidade de ser feliz”.

Ora, “numa semana em que tanto se falou em rankings, não posso deixar de deixar aqui uma mensagem, até porque estão aqui muitos pais: os nossos meninos valem muito mais do que uma décima”, prosseguiu Emília Santos.
A vereadora explicou o seu ponto de vista: “A avaliação vale muito mais do que a classificação, pois inclui, além da nota, todos os restantes valores. Não queiram que os vossos filhos sejam uma décima; queiram que eles sejam felizes na escola, porque se assim for eles vão conseguir ser muitas décimas, vão conseguir agregar muitos valores, muita criatividade, muita personalidade e felicidade. Isto sim, é muito importante para que eles se tornem adultos competitivos num mundo global”.

Maria Soares, do 4º ano, referiu ao Primeira Mão que o projeto “deu muito trabalho, mas que valeu a pena”. Todo o trabalho foi interessante, mas Maria salienta que gostou do “debate das ideias e de escolher a mais querida”. Não foi fácil a escolha, pois a debate foram cerca de 20 propostas.

Rita Martins é do 3º ano e vai poder experimentar ao máximo o novo recreio no próximo ano letivo, assumindo que considerou muito interessante deixar a sua “marca” na sua escola e do que mais gostou foi do contributo de todos: “gostei que todos se esforçaram para tornar a escola melhor e a escola ficou melhor para todos, pois agora vão todos conseguir jogar estes jogos”.

Adriana Santos frequenta também o 3º ano e ajudou a esquematizar o “jogo do galo” no recreio, um trabalho de que gostou muito. Se conseguir, esta e as outras jovens colegas afirmam com convicção que gostariam de continuar a fazer parte do Parlamento dos Alunos, no próximo ano letivo.