Verba para metro do Porto é “anúncio enganoso de Governo enganador”

0
199
Metro do Porto

Os 400 milhões de euros anunciados para investimento nos metros de Lisboa e do Porto, nos próximos anos, é “mais um anúncio enganoso de um Governo enganador”. É o que afirma o líder da distrital do Porto do PSD.

Virgílio Macedo afirmou-se preocupado com a possibilidade da extensão da linha verde do Metro do Porto até ao concelho da Trofa ser “outro processo de reversão feito por este Governo”. “Como é que as pessoas podem acreditar que depois de se fazer um anúncio de 400 milhões de euros se vá reavaliar e se tenha grandes dúvidas relativamente a uma obra”, questiona o deputado do PSD. Estará em causa a ligação entre o ISMAI e o Muro, que tem um custo de “poucas dezenas de milhões de euros”.

O projeto tem um custo estimado de 36,7 milhões de euros e foi alvo de um memorando de trabalho, celebrado em outubro passado, juntando quatro entidades: as câmaras da Maia e Trofa, a  Comissão de Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) e a empresa Metro do Porto. Os dois municípios, na altura, comprometeram-se a abdicar de uma verba de possíveis fundos europeus para que tudo revertesse para este projeto.

A preocupação de Virgílio Macedo surge agora, depois do Governo ter decidido pedir à Metro do Porto uma reavaliação daquele projeto. Refere que há “falta de vontade política para cumprir com os compromissos anteriormente assumidos”, o que “já não é novidade”.
“Viemos aqui [à CCDR-N] pedir umas migalhazinhas para uma extensão de cerca de três quilómetros e há umas semanas o ministro disse que havia 400 milhões para os metros do Porto e de Lisboa. Claro que esses 400 milhões de investimentos é mais um anúncio enganoso de um Governo enganador”, afirmou o deputado.
Virgílio Macedo considerou que o Governo está a fazer uma perseguição a duas câmaras do PSD: “Fomos informados que o ministro pediu à Metro do Porto para fazer uma avaliação a este projeto e parece-nos que essa avaliação é um empurrar a situação para a frente para depois não concretizar”.
Bragança Fernandes, presidente da autarquia, afirmou que avançar com a obra é “uma questão de justiça, porque a linha da Trofa estava prevista na 1.ª fase da rede do Metro do Porto e foi retirada”. Depois esteve na 2.ª fase e também não foi realizada.

240  Milhões

O presidente da Câmara do Porto revelou, esta semana, que o Governo tem 240 milhões de euros reservados para a expansão do Metro do Porto, verba que “não chega” para a linha ocidental do concelho.
Rui Moreira afirmou que a administração da Metro vai fazer uma análise custo-benefício das várias linhas previstas, acreditando que o concelho do Porto “não vai ficar de fora”. Salienta que “240 milhões de euros não chegam para a linha ocidental do Campo Alegre”, mas “podem chegar para iniciar a linha ocidental”.

Uma longa história

O projeto prevê a passagem do metro no antigo canal ferroviário, em via dupla, bem como a requalificação da estação do Muro. A circulação ferroviária nas linhas da CP da Póvoa de Varzim e da Trofa foi interrompida em 24 de fevereiro de 2002 para dar início às obras de construção do canal do metro. Desde então, as populações dispõem de um serviço de transporte alternativo em autocarro.
Em dezembro de 2009 foi lançado um concurso público internacional para a linha da Trofa que acabou por ser suspenso em setembro de 2010.