Visita à Escola da Pícua assinala novas medidas anti-covid e a cobertura do polidesportivo

0
161
Visita Escola Pícua_imagem ASantos

A visita do presidente da Câmara da Maia, Silva Tiago, e da vice presidente, Emília Santos (também vereadora da Educação) à Escola Eb1 da Pícua (Águas Santas), na sexta-feira, dia 18, foi uma forma de salientar alguns aspetos logísticos que implicam a abertura deste novo ano letivo em convívio com a pandemia Covid19.

O autarca aproveitou para anunciar que o polidesportivo swrá coberto e as obras ficarão prontas até ao final do ano letivo.

Silva Tiago confirmou o reforço de algumas medidas preventivas nas escolas como instalação de tapetes higienizantes, álcool-gel, sinalização no chão indicadora de sentidos de circulação, salas de isolamento, higienização dos espaços das escolas, etc. A culminar todas estas medidas, a autarquia contratou também mais pessoal auxiliar para as escolas básicas, que são da sua competência.

São medidas que implicam despesa da Câmara da Maia, que Silva Tiago referiu não serem de valores significativos. O autarca adiantou entretanto que estes custos poderão vir a ser abrangidos pelos subsídios que a União Europeia aprovou para Portugal no âmbito do combate à pandemia. De qualquer forma, “não esperamos por isso, temos capacidade e vontade de resolver tudo a bom tempo”.

Silva Tiago afirmou que as medidas de segurança nas escolas foram “tomadas atempadamente pela Câmara Municipal, pela Junta de Freguesia (de Águas Santas, neste caso) e pela Comunidade Educativa, (no caso, o Agrupamento de Águas Santas), que está aqui representado na visita pelo diretor, Manuel Ferreira.

Está cá a representante da Associação de Pais do Agrupamento e pelo que percebi empenham-se a fazer coisas bonitas: por exemplo, esta horta que aqui está que é uma parceria da Câmara com a LIPOR.

Tudo está a funcionar bem. Esta situação sanitária limita-nos, preocupa-nos e cria-nos ansiedade mas com serenidade, responsabilidade e vontade de vencer criámos todos os meios para que tudo se desenvolva da melhor forma e para que as crianças que começaram o novo ano letivo se sintam bem e tenham todas as condições de prevenção contra a Covid19”.

Quanto aos equipamentos de segurança e prevenção, o presidente da Câmara referiu ainda que existe um plano de contingência a nível nacional, mas que na Maia quis que fosse aperfeiçoado: “nós aperfeiçoámos para este momento com as experiências que tivemos desde o período de constrangimento e limitação. Temos tapetes (de limpeza) na entrada, para que as crianças possam usar sempre o mesmo calçado, sem o substituir, existe a higienização de toda a escola e de todos os equipamentos, temos as viseiras para as crianças estarem melhor protegidas e não terem de usar a máscara, que é mais difícil para elas”.

O autarca acrescentou que todos devem ter “fé que tudo está preparado para decorrer com regularidade. Se existir alguma situação imprevista, teremos de a resolver, sempre com muita responsabilidade e serenidade”, sublinhando: “não devemos entrar em situação de stress porque isso não resolve o problema”.

Há mais funcionários nas escolas

O novo ano letivo atípico exigiu ainda o reforço do “corpo não docente, com a admissão de mais assistentes operacionais para que estejam focados na assistência aos alunos”.

O autarca maiato salientou ainda: “as escolas estão a avançar com todas as condições, em termos de alimentação, por exemplo: se não for possível manter o distanciamento, criámos um modelo para disponibilizar as refeições embaladas e as crianças podem fazê-las na sua sala de aula, no intervalo de almoço, mas isso será algo pontual. As nossas escolas são espaçosas e temos condições necessárias para manter o distanciamento.”

Como conclusão, Silva Tiago deixa aos pais a mensagem de tranquilidade e confiança, recomendando que acreditem e confiem nos filhos, na escola, na Câmara Municipal, na Junta de Freguesia, nas direções e nos diretores, que são pessoas muito preparadas e atentas. É preciso confiar nos docentes e nos colaboradores, que foram melhor formados para esta situação que exige toda a cautela.

É importante confiarem em toda a estrutura, nas associações de pais e na federação da associação para que tudo corra bem. Vamos enfrentar este desafio com total serenidade”.

Polidesportivo da escola será coberto no decorrer do ano letivo

Horta e polidesportivo da Escola da Pícua_imagem ASantos

Entretanto, o presidente aproveitou a presença na Escola da Pícua para anunciar que irá avançar um projeto de cobertura do espaço polidesportivo anexo à escola, que poderá ser também usado pela comunidade de Águas Santas, em particular do lugar da urbanização da Pícua.

A intervenção irá avançar em breve e poderá ficar pronta até ao final do ano letivo: “já está acordado com a vereadora da Educação, Emília Santos, que vamos cobrir este polidesportivo, nos próximos meses (vamos abrir um procedimento contratual), no sentido de dar ainda melhores condições a este complexo de educação”.

Silva Tiago explicou que “a urbanização da Pícua está a desenvolver-se, o que significa que irão aparecer diversas famílias, porventura casais jovens que irão ter filhos e precisarão desta escola. Já estamos a preparar-nos para estas novas necessidades”.

Assim, garantiu o autarca, “o objetivo é que o poli-desportivo possa servir a comunidade em tempos não curriculares. Este novo equipamento veio substituir a escola primária da Granja e o poli-desportivo lá presente, que padeceram e foram substituídos por esta escola e este polidesportivo”.

Miguel dos Santos, presidente da Junta de Freguesia de Águas Santas, também sublinhou esta necessidade de haver rentabilização de um espaço desportivo da escola nos horários em que os alunos não o utilizam, porque a comunidade tem manifestado vontade de utilizar esta área desportiva.

De resto, disse-nos Miguel dos Santos, “este tem sido um dos meus objetivos enquanto autarca”.